Building the Future. Microsoft vai tornar negativo o total de emissões de carbono em 2030

A estratégia do gigante tecnológico inclui a criação de um fundo de inovação climática, no valor de mil milhões de dólares, o equivalente a 908 milhões de euros ao câmbio atual.

Lucy Nicholson / Reuters

O gigante tecnológico tem como objetivo tornar negativo o total de emissões de carbono em 2030, revelou Vahé Torossian, presidente da Microsft Western Europe, esta quarta-feira no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa, no âmbito do “Building the Future”. A medida, anunciada em meados deste mês pelo CEO Satya Nadella, significa que daqui a dez anos, a Microsoft estará a eliminar da atmosfera mais carbono do que aquele que produz.

A meta é ambiciosa e inédita, mas não se fica por aqui. Vinte anos depois, isto é, em 2050, a Microsoft quer ter retirado da atmosfera a totalidade do carbono que emitiu de forma direta e indireta desde a sua fundação em 1975.

Vahé Torossian adiantou ainda que a estratégia do gigante tecnológico inclui um fundo de inovação climática, no valor de mil milhões de dólares, o equivalente a 908 milhões de euros ao câmbio de hoje. Esse fundo tem como objetivo, adiantou, acelerar o desenvolvimento da tecnologia de remoção de carbono nos próximos quatro anos.

No “Building the Future”, falando no mesmo painel, Pedro Gouveia, investigador e cirurgião na Fundação Champalimaud, desenhou um futuro – Medicina 4.0 – em que a tecnologia permitirá a monitorização e assistência remota do paciente.

E Susana Correia de Campos, rosto da responsabilidade social interna do grupo Jerónimo Martins, deu a conhecer o Programa Incluir, que apresenta já resultados notáveis: 435 pessoas incluídas profissionalmente, das quais 182 portadoras de deficiência, 128 refugiados e emigrantes e 125 ex-presidiários ou ex-toxicodependentes.

No painel, moderado por Paula Panarra, diretora-geral da Microsoft, Steven Braekeveldt, CEO do Grupo Ageas Portugal, deixou o alerta: “Temos que ter muito cuidado para não construir uma sociedade em que há beneficiários da tecnologia e excluídos da tecnologia”.

A iniciativa da Microsoft “Building the Future” juntou esta quarta-feira no Pavilhão Carlos Lopes empresas, startups, incubadoras, investidores, investigadores e estudantes que debateram as oportunidades e os desafios trazidos pela transformação digital.

Ler mais

Recomendadas

Leia aqui o Jornal Económico desta semana

A edição digital do Jornal Económico vai estar disponível gratuitamente durante as próximas semanas, devido à situação de emergência nacional causada pela epidemia de Covid-19. Desta forma, todos os leitores continuarão a ter acesso ao Jornal Económico.

Défice da balança comercial aumentou para 1.547 milhões de euros em fevereiro

Tanto as importações como as exportações aumentaram no segundo mês do ano devido à subida do comércio intra-União Europeia, segundo o INE.

Mais de 264 mil portugueses estão em risco de desemprego devido à pandemia

Pandemia de Covid-19 pode fazer desemprego disparar 75% até ao final do ano, segundo cálculos do Jornal Económico, com base em cenários publicados pelo Banco de Portugal e dados do Instituto Nacional de Estatística. Serviços e indústria são os mais expostos, dizem especialistas.
Comentários