Miguel Gouveia diz que votar na Coligação Confiança é a “garantia da liberdade que se vive e sente” no Funchal

O candidato da Coligação Confiança considerou que no próximo fim-de-semana, “estaremos à altura da confiança dos funchalenses, porque ninguém quer voltar para trás, ninguém quer voltar a um passado de má memória, em que esta Câmara era um mau exemplo para todas as Câmaras do país, em termos financeiros, urbanísticos, na causa animal, na igualdade e na sustentabilidade e, acima de tudo, era um mau exemplo na liberdade que deve caracterizar o poder local autónomo”.

O candidato da Coligação Confiança e atual presidente da Câmara do Funchal, Miguel Gouveia, considera que o voto na Coligação Confiança é a garantia da liberdade que atualmente “se vive e sente” no Funchal, reforçando que esse será o caminho que continuará a ser percorrido.

“Sem medo, porque o Funchal não se faz com aqueles que se acobardam, mas com aqueles que todos os dias dão o seu melhor, com trabalho honesto e suor, e é essa cidade que temos o orgulho de estar a construir, uma cidade mais sustentável, mais justa, mais reabilitada, mais inovadora, mais livre e mais participada, com oportunidades iguais para todos”, disse Miguel Gouveia, durante uma arruada na baixa do Funchal.

Miguel Gouveia sublinhou que no próximo fim-de-semana, “estaremos à altura da confiança dos funchalenses, porque ninguém quer voltar para trás, ninguém quer voltar a um passado de má memória, em que esta Câmara era um mau exemplo para todas as Câmaras do país, em termos financeiros, urbanísticos, na causa animal, na igualdade e na sustentabilidade e, acima de tudo, era um mau exemplo na liberdade que deve caracterizar o poder local autónomo”.

O candidato da Coligação Confiança considerou que a sua candidatura fez uma “campanha pela positiva, sem ofender ninguém, uma campanha que está, acima de tudo, ao lado dos funchalenses, e provamos mais uma vez que os funchalenses estão connosco”.

Miguel Gouveia acrescentou que “os que ficam para a História são aqueles que, ao longo dos anos, procuram fazer a diferença pela vida da comunidade, com seriedade, verdade, responsabilidade e a humildade de estar sempre junto do povo, e esses somos nós. A História não vem escrita em lado nenhum, quem a constrói são os funchalenses, e hoje voltamos a constatar que quando nós queremos, não há impossíveis, porque somos o reflexo da vontade da população”.

Recomendadas

Carlos Moedas toma posse como presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Veja em direto

O antigo comissário europeu sucede a Fernando Medina na liderança da Câmara Municipal de Lisboa. Veja a tomada de posse em direto.

PremiumUnião fez a força para o centro-direita retirar câmaras aos socialistas

Coligações lideradas pelos sociais-democratas conquistaram mais 20 autarquias sem perder nenhuma. PSD isolado teve saldo nulo com PS.

PremiumEleições geram meia centena de imbróglios autárquicos

Porto e Sintra juntam-se às câmaras em que os vencedores estão em minoria na vereação e na assembleia municipal. Mais complicada que Lisboa talvez só mesmo Évora, e número de executivos minorítários disparou em relação a 2017.
Comentários