Millennium bcp e ActivoBank disponibilizam Apple Pay aos clientes

Os cartões BCP estreiam-se nesta aplicação e acabam com a “exclusividade” do Crédito Agrícola. Os clientes do Millennium passam a poder adicionar os seus cartões ao serviço de pagamentos digitais da Apple, que já vem integrado nos iPhone mais recentes.

REUTERS/Regis Duvignau

Já pode adicionar os seus cartões Millennium ao Apple Pay e pagar em lojas, sites ou aplicações móveis. Depois da app moey do Crédito Agrícola, é a vez do banco liderado por Miguel Maya anunciar a adesão dos seus cartões ao serviço de pagamentos digitais da Apple.

Os clientes do Millennium passam a poder adicionar os seus cartões ao serviço de pagamentos digitais da Apple, que já vem integrado nos iPhone mais recentes.

O Apple Pay permite usar o telefone para pagar compras, desde que se tenha um cartão adicionado à aplicação – até agora, o único banco português que permitia isto era o Crédito Agrícola através da aplicação bancária para telemóveis, a moey  que está disponível na Play Store e na App Store.

Relacionadas

Millenium BCP é o próximo banco português a entrar no Apple Pay

O Crédito Agrícola deixa de ser o único banco português na app.
Recomendadas

Salários da CGD aumentaram em 2019 com início de pagamento de bónus

Os salários da administração da CGD cresceram para 3,6 milhões de euros no ano passado, um aumento de 22,5% justificado com o início de um programa de pagamento de remunerações variáveis, que já estava previsto, revelou o banco.

BdP recomenda aos consumidores que atualizem os contactos junto do banco no processo de autenticação forte do cliente

Em comunicado, o BdP recomendou “aos consumidores que atualizem, até agosto, os seus contactos junto do seu banco/prestador de serviços de pagamento e que adiram às soluções de autenticação forte, idealmente até ao final de outubro, para continuarem a efetuar compras online com cartão”.

Banco de Fomento Angola garante esclarecer a demissão do português António Domingues

O Banco Fomento Angola (BFA) anunciou hoje que se vai pronunciar “nos próximos dias” sobre os motivos da demissão do gestor português António Domingues, do cargo de vice-presidente da instituição, após ter denunciado alegados crimes de branqueamento de capitais.
Comentários