Ministra da Justiça vai ser ouvida quinta-feira no parlamento

O parlamento aprovou esta quarta-feira os requerimentos de quatro partidos para ouvir a ministra da Justiça “com carácter de urgência” sobre as incorreções na informação curricular do procurador europeu José Guerra, numa audiência agendada para quinta-feira.

Relacionadas

“Questão extremamente constrangedora”, diz sindicato dos magistrados sobre nomeação de José Guerra

O presidente do sindicato dos magistrados acredita que a nomeação de José Guerra “fragiliza a figura do Procurador Europeu” e defende existirem “uma série de factos que precisam ser apurados”.

Marcelo diz que Costa mantém confiança em Francisca Van Dunem

Marcelo revelou que António Costa mantém confiança na ministra da Justiça no debate presidencial frente a João Ferreira, que diz existir uma “notória trapalhada” na nomeação de José Guerra para o cargo de Procurador Europeu.
francisca_van_dunem_ministra_justiça_ano_judicial

António Costa recebeu Francisca Van Dunem em São Bento para debater escolha de procurador europeu

A estação pública de televisão adianta ainda que António Costa “manifestou total apoio e confiança” a Francisca Van Dunem para que a governante se mantenha em funções.
Recomendadas

Federação Europeia dos Jornalistas alerta Conselho da Europa sobre Portugal devido ao caso dos jornalistas vigiados

Esta foi a primeira vez que Portugal foi “alvo de um alerta da plataforma criada em 2015 para denunciar violações da liberdade de imprensa e proteger o jornalismo”, de acordo com uma nota publicada no site do Sindicato dos Jornalistas

Provedora de Justiça instruiu mais de 500 reclamações de imigrantes em 2020

A Provedora de Justiça instruiu mais de 500 reclamações de imigrantes em 2020, incluindo queixas da forma como estava a ser aplicado o estatuto de regularização provisória que o Governo aprovou devido à covid-19.

Marcelo sugere que ex-responsáveis da PGR sejam ouvidos sobre vigilância a jornalistas

O Presidente da República e recandidato ao cargo, Marcelo Rebelo de Sousa, realça que a polémica vigilância policial a jornalistas é anterior ao mandato da atual procuradora-geral da República e sugere que ex-responsáveis deveriam ser ouvidos.
Comentários