Ministra defende que atrasos nas execuções devem-se à economia e não aos tribunais

A taxa de cobrança para os cerca de 700 mil processos pendentes nos tribunais portugueses é de apenas 4%. Ministra promete medidas para facilitar processos e diz que o Fisco e a Segurança Social vão ser “mais amigáveis” para os devedores.

Pedro Nunes/Reuters

A ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, considera que os atrasos na Justiça económica, em matéria de execuções, não se devem à falta de capacidade do sistema judicial mas à economia. A ministra considera que os números falam por si, pois  a taxa de cobrança para os 700 mil processos pendentes é de apenas 4%.

O Governo vai tomar medidas para combater o problema do excessivo endividamento das famílias, para evitar situações de insolvência, com a criação de um sistema de alerta para os consumidores excessivamente endividados, disse a ministra em entrevista à Antena 1 e ao “Negócios”.

Nos casos em que essa situação de insolvência já existe, a ministra admite que sejam criados mecanismos para facilitar o processo e fazer com que o Fisco e a Segurança Social sejam “mais amigáveis” para o devedor. Estas entidades públicas continuarão a estar indisponíveis, isto é, o capital em dívida e os juros não poderão ser reduzidos, mas haverá mecanismos que possam beneficiar o devedor, disse a ministra.

Na mesma entrevista, Van Dunem afirmou que os tribunais administrativos e fiscais de primeira instância vão ter um forte reforço dos seus meios, com um aumento de 53% dos seus efetivos nos próximos dois anos.  Com este reforço, será possível avançar em 2018 com equipas especiais para a recuperação de processos e com juízos administrativos e sociais e os juízos de execução fiscal e recursos contraordenacionais, explicou.

 

 

 

Ler mais

Relacionadas

Tribunais administrativos e fiscais vão ter reforço de 53% nos efetivos

Ministra Francisca Van Dunem admite que taxas de justiça são elevadas e que o assunto está a ser estudado por um grupo de trabalho que poderá propor medidas no próximo ano.

Ministra de Justiça diz que magistrados não vão ter aumentos salariais nem carreiras desbloqueadas

Francisca Van Dunem diz que está disponível para negociar mas rejeita aumentos salariais para os magistrados. E garante que as carreiras só serão desbloqueadas à medida que o forem as outras carreiras do Estado. Tribunais administrativos e fiscais de primeira instância vão ter reforço de 53% a nível de efetivos.

Governo vai criar sistema de alertas para consumidores endividados

Ministério da Justiça poderá criar um mecanismo que publicite a situação dos consumidores excessivamente endividados junto das instituições financeiras. As quais, se concederem crédito a esses consumidores e estes não conseguirem pagar, poderão ser penalizadas, disse a ministra Francisca Van Dunen.
Recomendadas

Desemprego fixa-se nos 7,3% na zona euro e 6,6% na UE em abril

A taxa de desemprego foi de 7,3% na zona euro e 6,6% na União Europeia, em abril, segundo mês das medidas de confinamento devido à covid-19 na maior parte dos Estados-membros, estima hoje o Eurostat.

Operação entre a Three UK e a O2 deveria ter sido autorizada

No Reino Unido, à semelhança do que acontece noutros Estados-membros, e um pouco por todo o mundo, o sector das telecomunicações móveis é relativamente concentrado sem que isso seja necessariamente problemático.

PremiumAna Gomes: “Fundo de Recuperação é a oportunidade para a União Europeia se reinventar”

Webinar organizado pela Antas da Cunha ECIJA e pelo JE debateu as tensões internas na Europa que travam a integração. Decisão do Tribunal Constitucional alemão centrou as atenções do painel.
Comentários