Ministro do Ambiente sobre o lítio: “Líder do PSD diz que lhe cheira a esturro? Que desligue o forno”

João Matos Fernandes foi ao Parlamento defender a legalidade da licença de pesquisa de lítio em Montalegre e criticou o PSD por se aproveitar “demagogicamente” desta polémica.

O ministro do Ambiente defende a legalidade da licença para a prospeção e pesquisa de lítio em Montalegre atribuída à empresa Lusorecursos. Numa audição no Parlamento na quarta-feira, João Matos Fernandes deixou várias críticas ao PSD pelos seus ataques a esta licença, considerando que está a fazer uma “campanha insidiosa”.

“A lei e o processo são mesmos cristalinos”, destacando que esta licença foi atribuída em setembro de 2012 pelo Governo PSD/CDS.

Segundo contas apresentadas pelo governante, o Governo PSD/CDS atribuiu 12 licenças para prospeção e pesquisa para o lítio, enquanto o Governo PS não atribuiu nenhuma.

“Insisto no facto de todos este diplomas e o contrato que atribui direitos serem todos do tempo em que o PSD estava no governo. Não por discordar deles, mas por ser absolutamente insidiosa a campanha que o PSD tem feito em torno deste processo. O PSD, que então soube escrever, hoje já nem sabe ler o que escreve. A ausência de hábitos de leitura do seu presidente é agora norma no conjunto do partido”, afirmou João Matos Fernandes no seu discurso inicial na comissão parlamentar do Ambiente.

O ministro do Ambiente também destacou que “só por estultice ou por má-fé se pode usar o argumento da juventude da empresa que assinou o contrato. É cristalino o cumprimento da lei”, considerando que o PSD tem aproveitado “demagogicamente” a “polémica” criada pela investigação do programa da RTP Sexta às Nove.

Sobre a avaliação de impacte ambiental, garantiu que será realizada pela empresa. “O que se segue agora? Uma avaliação de impacto ambiental. O estudo de impacto ambiental não é uma condição para obter a concessão, mas sim uma obrigação do concessionário”.

“Está o promotor a fazer o estudo de impacto ambiental. Haverá de o entregar à administração. Será avaliado, terá consulta pública. Se for chumbado, o processo acaba aqui. Se for aprovado, quase invariavelmente com condicionantes, todos os cuidados ambientais serão observados”, sublinhou.

Matos Fernandes deixou várias críticas a líder do PSD pelos ataques ao lítio. “Diz o líder do PSD que lhe cheira a esturro? Só posso fazer-lhe uma sugestão. Que desligue o forno, pois o empadão de mentiras que inventou, feito de sobras dos jantares de sexta feira à noite, esturricou. Enfim, temos um líder de oposição que é engenheiro nasal, especialidade que a ordem não reconhece. O lítio e a sua importância merecem mais do que as afetações pituitárias do doutor Rui Rio”.

João Matos Fernandes destacou que o Governo tem uma “ambição industrial” para o lítio “assegurando que futuras concessões só serão atribuídas a quem garanta a sua valorização em território nacional, permitindo que, por essa via, Portugal possa posicionar-se como um país relevante no grande
projeto industrial europeu associado à Aliança Europeia para as Baterias”.

“Não há descarbonização nem digitalização sem lítio. As baterias dos telemóveis, dos computadores portáteis, dos automóveis elétricos, são de lítio”, destacou.

Ler mais
Relacionadas

Ministro do Ambiente reitera que o Estado “tem o direito de se defender” em tribunal

O ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, afirmou hoje que “o Estado tem o direito de se defender” de qualquer ação em tribunal, reagindo assim à ação administrativa interposta por uma associação de Montalegre contra a exploração de lítio.

Associação interpôs ação em tribunal para anular concessão de lítio em Montalegre

A Associação Montalegre com Vida interpôs uma ação administrativa com vista à anulação do contrato de concessão para a exploração de lítio assinado entre a Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG) e a Lusorecursos Portugal Lithium.

Ministro do Ambiente afirma que processo do lítio em Montalegre é “cristalino”

João Pedro Matos Fernandes afirmou que “é óbvio” que os argumentos das populações são importantes, bem com os das autarquias”, e lembrou que durante a avaliação de impacto ambiental vai decorrer uma consulta pública.

Parlamento vai ouvir jornalista e presidente da RTP sobre adiamento do programa ‘Sexta às 9’

Em causa está o adiamento da emissão de um episódio do ‘Sexta às 9’, que veio expor irregularidades no processo de concessão da exploração de lítio em Montalegre, para depois das eleições legislativas.
Recomendadas

Estudo Basef Seguros escolhe Fidelidade

O Basef Seguros – Barómetro de Serviços Financeiros é um estudo de referência realizado há mais de 20 anos pela Marktest, que dá a conhecer o comportamento da população portuguesa em relação ao setor segurador.

Menos de metade das empresas de turismo investiram em inovação no último ano

“Com este estudo, tentámos perceber qual o patamar em que estão as empresas no que respeita à transformação digital e à inovação”, diz Francisco Calheiros.

Quatro sindicatos do setor financeiro juntam-se para criar o “Mais Sindicato”

De acordo com os estatutos, serão agendadas, num prazo de seis meses, eleições para os órgãos diretivos da futura estrutura sindical – Mais Sindicato.
Comentários