PremiumMinistro do Ambiente: “É importante que Portugal tenha mais de 100 centrais a biomassa”

O ministro do Ambiente João Matos Fernandes, defende a utilização da biomassa em sistemas de produção de calor. Mas não comenta o futuro da central da EDP em Sines.

Depois de o Governo ter tomado a decisão sobre a data limite de funcionamento da central termoelétrica do Pego – que deixará de utilizar carvão depois de 2021 – e sobre a sua eventual reconversão para poder utilizar fontes de energia renováveis, o ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Matos Fernandes, em entrevista ao Jornal Económico – realizada em Lisboa, na abertura da 27ª Conferência e Exibição Europeia da Biomassa EUBCE 2019 – considera que “é mesmo importante” que Portugal tenha “mais de uma centena de pequenas centrais de biomassa, extraordinariamente eficientes, que vão servir para produzir calor para aquecer piscinas, pavilhões gimnodesportivos, ou até bairros pelo país fora”.

Na abertura da conferência, Matos Fernandes referiu que, na sequência de um pedido feito pelo Governo português, a 8 de janeiro de 2018, a Comissão Europeia aprovou um sistema de ajudas estatais que apoia a criação de infraestruturas para unidades de biomassa localizadas na proximidade de áreas florestais consideradas críticas ao nível de riscos de incêndio.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Sem turistas, canais de Veneza estão mais limpos que nunca

Golfinhos, peixes e cisnes fazem agora parte dos canais de Veneza, que há várias décadas não viam a água tão transparente.

Covid-19: novas recomendações para a gestão de resíduos

Os sacos de lixo devem ser devidamente fechados e colocados dentro de um segundo saco, fechado, e depositado no contentor de resíduos indiferenciados”. Viaturas de recolha e contentores devem ser mais higienizadas. Caso se verifique uma taxa de absentismo que não permita a recolha adequada, e de forma seletiva de todas as frações de resíduos urbanos, preconiza-se a recolha conjunta da fração indiferenciada e da depositada seletivamente, garantindo sempre que a frequência de recolha de resíduos indiferenciados não é prejudicada.

Covid-19: Foram emitidas menos um milhão de toneladas de CO2 por dia

A Agência Internacional de Energia (AIE) divulgou esta semana um relatório segundo o qual a procura global de petróleo deve contrair-se este ano pela primeira vez desde 2009, devido à Covid-19, sendo que estão em causa menos 90.000 barris de petróleo por dia em relação ao ano passado, não ultrapassando os 99,9 milhões de barris por dia.
Comentários