Moda sustentável. Cinco projectos inovadores que receberam 1 milhão de euros da H&M Foundation

As ideias vencedoras do Global Change Award vão desde a produção de algodão com recurso à biotecnologia à criação de polyester através de gases de estufa.

Eram 5893 candidaturas de 175 países e a H&M Foundation selecionou cinco projetos para vencer o considerado Prémio Nobel da moda sustentável, Global Change Award. O evento vai na quinta edição e tem como objetivo destacar ideias sustentáveis que possam ser aplicadas à industria têxtil. As ideias vencedoras foram divulgadas esta semana.

Incredible Cotton

A GALY, empresa americana e brasileira, utilizou a biotecnologia para a criação de algodão de laboratório. Venceram 300 mil euros da H&M Foundation a produzir algodão com apenas 20% dos recursos habituais.

Na produção normal de algodão recursos como a água, terra e químicos tóxicos que emitem gases que promovem o efeito de estufa. Para colmatar este problema a GALY inventou este algodão que cresce dez vez mais rápido do que o normal.

 Feature Fibres

O segundo prémio, de 250 mil euros, foi atribuído à Werewool, empresa norte americana, que se dedicou à criação de tecidos a partir de proteína de ADN com cores naturais, elasticidade e outras características.

Esta técnica permite incorporar as características pretendidas no ADN dos tecidos sem prejudicar as proteínas encontradas nas águas-vivas, nas ostras ou no leite de vaca. O tecido destas roupas não precisa de processamento e é biodegradável.

Tracing Threads

Localizar fibras sustentáveis através de tecnologia blockchain transparente e fiável foi a missão da TêxtilGenesis, empresa indiana, que arrecadou 150 mil euros com este projeto.

A tecnologia blockchain consiste na criação de base de dados que têm como função criar um índice global para todas as transações que ocorrem num determinado mercado. Desta forma, foi possível à TêxtilGenesis rastrear a matéria prima desde a origem e ajudar os produtores a associar a cada tecido uma fiber coin única que fornece informação digital aos materiais usados na produção de roupa

Zero Sludge

A SeaChange Technologies, empresa americana, inventou um método de separação e limpeza de águas residuais para eliminar resíduos tóxicos de aterros. A H&M Foundation atribuiu 150 mil euros a este projeto.

Os têxteis coloridos requerem que lhes seja aplicada cor e nesses processo são emitidos gases e libertadas toxinas na água criando uma substância tóxica espessa. Contudo, com a invenção da SeaChange Technnologies a água é separadas das toxinas.

Airwear 

O último vencedor destes cinco prémios, a empresa francesa Fairbrics, recebeu 150 mil euros pela ideia de converter gases com efeito de estufa em poliéster sustentável. Este tipo de tecido sustentável é feito a partir da contenção do dióxido de carbono.

Ler mais
Relacionadas

Covid-19: H&M fecha lojas temporariamente

O serviço online da H&M continua disponível, mas o atendimento por telefone em português já não se encontra em funcionamento.
Recomendadas

Estudo revela que três em cada dez startups do Porto correm o risco de fechar

O relatório “Impacto da Covid-19 nas Startups do Porto”, elaborado pela Porto Digital, FES Agency e Aliados Consulting, revela que 31,7% das startups têm até três meses de capital disponível.

PremiumMontepio Crédito defende CFEI para capitalizar empresas

Pedro Gouveia Alves realça que este instrumento de crédito fiscal já deu provas positivas em 2014. Autonomia financeira do setor ronda apenas os 20%.

PremiumProibição dos festivais até ao final de setembro “é uma catástrofe para centenas de empresas”

Todos os serviços que estão integrados na realização de um festival musical estão a ser afetados pela lei que proíbe a realização desse tipo de eventos.
Comentários