Montepio Crédito expande crédito ao consumo na plataforma digital

O Montepio Crédito reforçou a sua aposta no digital e lançou o crédito para aquisição de material escolar e informático na sua plataforma mycreditech, numa altura em que as aulas por meios digitais ganharam relevância.

O Montepio Crédito, instituição financeira de crédito especializado, cuja maior atividade é o financiamento automóvel decidiu alargar as modalidades de crédito ao consumo. A instituição do grupo aposta agora no apoio às famílias portuguesas no regresso às aulas, através de uma solução de financiamento totalmente digital para aquisição de material escolar e informático.

“A solução de crédito agora apresentada pelo Montepio Crédito, disponível através da sua plataforma digital mycreditech.com, é um crédito pessoal 100% digital, que apoia valores entre 2.500 euros e 25.000 euros, entre os 12 e os 84 meses”, lê-se no comunicado.

Pedro Gouveia Alves, presidente da Montepio Crédito diz no comunicado que “depois do confinamento devido à Covid-19 e de meses em aulas virtuais, em que o recurso a material informático e digital foi maior que nunca, as famílias portuguesas vêm-se agora obrigadas, com o regresso às aulas, a um novo investimento na educação”.

O Montepio Crédito, “atento às novas tendências e estando na vanguarda das novas formas de financiamento, lança a solução de crédito para apoio ao estudo de forma a responder às necessidades das famílias na aquisição de material escolar e informático, na impossibilidade de o fazerem através de recursos financeiros próprios e de forma imediata”, destaca Pedro Gouveia Alves, presidente do Montepio Crédito.

 

Na atual conjuntura, o financiamento digital é uma tendência em crescimento, assim como o apoio à aquisição de material informático, cada vez mais necessário sobretudo para os jovens estudantes.

 

Ler mais
Recomendadas

PremiumVenda do BNI Europa retomada

Processo de venda do BNI Europa ainda está numa fase inicial, mas já há interessados que sondaram o acionista angolano.

Novo Banco nega “divergências estratégicas” na administração

Na sequência de uma notícia publicada na semana passada pelo Jornal Económico, sobre a saída dos administradores Vítor Fernandes, José Eduardo Bettencourt e Jorge Cardoso, o jornal ‘Público’ avança hoje com uma notícia em que justifica essa decisão com a existência de “um profundo debate de ideias” no seio da administração liderada por António Ramalho, que foi reconduzido no cargo esta semana.

KPMG Portugal “refuta vigorosamente a condenação” da CMVM

A KPMG diz que a acusação “evidencia falhas graves da CMVM na aplicação da lei e na interpretação das normas de auditoria”.
Comentários