Mota-Engil está entre os seis interessados no Metro do Porto

As empresas que apresentaram propostas para operar foram a Barraqueiro, a Corporatión Española de Transportes, a DST – Domingos Silva Teixeira, um consórcio da Mota-Engil (MEAS/Manvia/ME SGPS/MGC), a Neopul e a Transdev Mobilidade.

A construtora Mota-Engil está entre os seis interessados no Metro do Porto. A empresa que gere este transporte informou esta segunda-feira que há seis concorrentes que apresentaram propostas ao concurso público para a subconcessão da operação e manutenção da rede no período 2018-2025.

Em comunicado, a Metro do Porto adianta que “o júri do concurso público internacional irá agora analisar a admissibilidade das propostas apresentadas, devendo dentro de dias apresentar o seu relatório ao conselho de administração que o analisará e votará uma decisão de adjudicação”.

Segundo a empresa, apresentaram propostas as empresas Barraqueiro, a Corporatión Española de Transportes, a DST – Domingos Silva Teixeira, um consórcio da Mota-Engil (MEAS/Manvia/ME SGPS/MGC), a Neopul e a Transdev Mobilidade.

O preço base do procedimento concursal ascende os 221 milhões de euros, mais concretamente 221.212.822,89 euros, e o critério de adjudicação é o “preço mais baixo”. A empresa ou consórcio que vier a ganhar a operação e a manutenção do sistema de metro ligeiro da Área Metropolitana do Porto (AMP) receberá a subconcessão por um período de sete anos, a partir de abril do próximo ano.

No âmbito deste concurso público, o vencedor assegurará a operação do metro, que inclui a segurança e apoio aos clientes, bem como as grandes revisões da frota de material circulante, as grandes manutenções de sistemas técnicos e do sistema de bilhética.

A operação da Metro do Porto está concessionada desde 2010 à ViaPorto (formada pela Barraqueiro, Arriva, Keolis e Manvia) e o contrato cessa em abril de 2018. Nove dias depois de tomar posse, no final de 2015, o Governo anunciou que ia suspender o processo de obtenção de visto prévio para os contratos de subconcessão dos transportes de Lisboa e do Porto, para evitar entrarem em vigor. O visto do Tribunal de Contas era o elemento em falta no processo para que a privatização das empresas, negociada pelo anterior governo, liderado pelo social-democrata Pedro Passos Coelho, se efetivasse.

Ler mais
Relacionadas

Concurso de subconcessão do Metro do Porto prorrogado até 6 de outubro

A empresa ou consórcio que vier a ganhar este concurso receberá a subconcessão por um período de sete anos, entre abril de 2018 e abril de 2025.
Recomendadas

Banco de Portugal vai sujeitar diretores do risco, compliance e auditoria ao ‘Fit & Proper’

Está em consulta pública até ao final de março um projeto de alteração de Aviso do Banco de Portugal que vai rever os requisitos aplicáveis em matéria de governo interno dos bancos. Entre as principais novidades introduzidas pelo regulador, destaca-se o alargamento do processo de avaliação e adequação diretores do risco, de compliance e de auditoria interna, e um relatório anual de autoavaliação dos bancos sobre o cumprimento das regras de controlo interno.

Coca-Cola Portugal nomeia primeira diretora-geral de nacionalidade portuguesa

Sandra Vera-Cruz junta-se a Rui Serpa que, em 2018, assumiu funções de diretor-geral na Coca-Cola European Partners, como os únicos portugueses com funções de chefia numa das maiores empresas ligadas ao setor das bebidas a nível mundial.

Telefónica aposta mais de três mil milhões na La Liga até 2022

Números assegurados pela Telefónica têm por base o potencial que os conteúdos exclusivos da La Liga Santander e La Liga SmartBank que poderão proporcionar outros ganhos no que respeita à retransmissão dos jogos.
Comentários