Mota-Engil investe mais de um milhão de euros em empresas parceiras do PME Connect

“A Mota-Engil já contratou mais de um milhão de euros com PME nacionais que integraram o projeto PME Connect, fruto da confiança e do trabalho desenvolvido nos workshops colaborativos deste projeto”, revelou Pedro Arrais, diretor de Relações Institucionais da Mota Engil.

Mario Proenca/Bloomberg

“A Mota-Engil já contratou mais de um milhão de euros com PME nacionais que integraram o projeto PME Connect, fruto da confiança e do trabalho desenvolvido nos workshops colaborativos deste projeto”, anunciou a construtora.

“As empresas portuguesas não são em nada piores que as outras, o que falta às empresas portuguesas é juntarem-se, e é este aspeto que é relevante neste projeto”, diz no comunicado Pedro Arrais, diretor de Relações Institucionais da Mota-Engil.

Sobre a operacionalização do projeto, Pedro Arrais explicou que “a Mota-Engil dinamizou duas sessões no âmbito dos workshops abrangidos pelo PME Connect: a primeira, sobre mentoring, onde abordaram questões de procurement de modelos de compras, especificamente de Portugal para outros países; na segunda, realizou uma apresentação sobre os temas mais relevantes na área da Fiscalidade, com a partilha transparente da nossa experiência na exportação e internacionalização nos países onde operam – 70 países na Europa, em África e na América Latina –, e ainda as tendências de crescimento nesta área”.

“Iniciámos um networking com empresas que não conhecíamos, e algumas já começaram a ser consultadas, ao ponto de desenvolvermos relações comerciais”, explicou o responsável da Mota-Engil, destacando que “é necessário existir uma conquista de confiança mútua em Portugal, que funcionará como uma janela de oportunidade para que estas PME comecem posteriormente a desenvolver negócios lá fora, além de ser também uma forma de verticalizarmos o nosso negócio”.

Recomendadas

Constâncio volta à mira dos deputados com omissões sobre créditos a Berardo debaixo de fogo

Ex-governador do Banco de Portugal volta a ser inquirido pelos deputados esta terça-feira, depois de notícias de que teve conhecimento prévio do financiamento da Caixa Geral de Depósitos a Joe Berardo para comprar ações do BCP, informação que terá omitido na primeira audição. Vítor Constâncio já negou que tenha tido um papel preponderante neste crédito, que se revelaria ruinoso para o banco público.

Respostas Rápidas: Como o Novo Banco registou perdas de 1.869 milhões em 2018 com os ativos do mecanismo

O Fundo de Resolução explica as dúvidas sobre o Mecanismo de Capitalização Contingente usado para recapitalizar o Novo Banco. O valor a pagar ao abrigo do CCA em 2019 e referente ao ano 2018, de 1.149 milhões, resulta da comparação entre o valor acumulado das perdas nos ativos CCA e o valor da insuficiência de capital do banco face aos níveis acordados. O valor acumulado das perdas era maior: 1.870 milhões depois do pagamento de 792 milhões pelo Fundo em 2018.

Prazo para subscrever às “Obrigações TAP 2019-2023” termina esta terça-feira

Com este empréstimo obrigacionista lançado no dia 3 de junho, a TAP pretende levantar 200 milhões de euros. As obrigações têm uma maturidade de quatros anos e oferecem uma rentabilidade de 4,375% por ano. Os resultados da operação serão conhecidos esta quarta-feira, dia 19.
Comentários