Mota-Engil investe mais de um milhão de euros em empresas parceiras do PME Connect

“A Mota-Engil já contratou mais de um milhão de euros com PME nacionais que integraram o projeto PME Connect, fruto da confiança e do trabalho desenvolvido nos workshops colaborativos deste projeto”, revelou Pedro Arrais, diretor de Relações Institucionais da Mota Engil.

Mario Proenca/Bloomberg

“A Mota-Engil já contratou mais de um milhão de euros com PME nacionais que integraram o projeto PME Connect, fruto da confiança e do trabalho desenvolvido nos workshops colaborativos deste projeto”, anunciou a construtora.

“As empresas portuguesas não são em nada piores que as outras, o que falta às empresas portuguesas é juntarem-se, e é este aspeto que é relevante neste projeto”, diz no comunicado Pedro Arrais, diretor de Relações Institucionais da Mota-Engil.

Sobre a operacionalização do projeto, Pedro Arrais explicou que “a Mota-Engil dinamizou duas sessões no âmbito dos workshops abrangidos pelo PME Connect: a primeira, sobre mentoring, onde abordaram questões de procurement de modelos de compras, especificamente de Portugal para outros países; na segunda, realizou uma apresentação sobre os temas mais relevantes na área da Fiscalidade, com a partilha transparente da nossa experiência na exportação e internacionalização nos países onde operam – 70 países na Europa, em África e na América Latina –, e ainda as tendências de crescimento nesta área”.

“Iniciámos um networking com empresas que não conhecíamos, e algumas já começaram a ser consultadas, ao ponto de desenvolvermos relações comerciais”, explicou o responsável da Mota-Engil, destacando que “é necessário existir uma conquista de confiança mútua em Portugal, que funcionará como uma janela de oportunidade para que estas PME comecem posteriormente a desenvolver negócios lá fora, além de ser também uma forma de verticalizarmos o nosso negócio”.

Recomendadas

PremiumConservas querem substituir 200 milhões de importações

Campanha em curso de promoção do consumo de conservas deverá aumentar vendas em cerca de 5%, revela José Maria Freitas, presidente da ANICP – Associação Nacional dos Industriais de Conservas de Peixe, em entrevista ao Jornal Económico.

Lucro da petrolífera Saudi Aramco cai 50% no primeiro semestre para 19,7 mil milhões de euros

A petrolífera Saudi Aramco alcançou 23,2 mil milhões de dólares (cerca de 19,7 mil milhões de euros) de lucro no primeiro semestre deste ano, menos 50% do que em igual período do 2019, penalizado pela pandemia de covid-19.

Apenas 2,7% das coimas da Autoridade da Concorrência foram pagas desde 2004

Uma das razões para os atrasos são os múltiplos recursos na Justiça, que contribuem para que só uma pequena parte das coimas seja paga.
Comentários