PremiumMotoristas de carga geral admitem greve que “irá parar o país”

Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias revelou ao JE que será o próximo a avançar para a greve, caso a ANTRAM não acolha reivindicações.

O país arrisca ficar paralisado nas próximas semanas com uma nova greve dos motoristas de carga geral que afirmam estar solidários com os motoristas de matérias perigosas que esta semana iniciaram uma greve por tempo indeterminado, que levou o Governo a decretar o estado de crise energética. A possibilidade de nova greve foi revelada ao Jornal Económico pelo Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM), que critica o poder político de ceder perante a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM), os donos das transportadoras rodoviárias de mercadorias, e os lobbies económicos.

“Se a postura da ANTRAM não se alterar, o SIMM será o próximo sindicato a avançar para uma greve”, revelou ao Jornal Económico Anacleto Rodrigues, porta-voz do sindicato que conta com mais de 800 associados e que sinaliza agora a possibilidade de nova greve de motoristas que abrangerá toda a tipologia de transportes de carga geral, desde o frio (produtos frescos como legumes e frutas), passando pelas lonas (água, cerveja, leite e outro tipo de alimentos) até aos contentores (congelados, por exemplo).

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Brexit marca último debate televisivo entre Johnson e Corbyn antes das eleições

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e o rival trabalhista, Jeremy Corbyn, enfrentaram-se num último debate televisivo, transmitido na estação pública BBC a menos de uma semana das eleições legislativas de 12 de dezembro.

Conservadores de Boris Johnson terão maioria no parlamento, conclui sondagem

O estudo de opinião da YouGov aponta para que o partido ganhe 359 dos 650 lugares no parlamento britânico – o melhor resultado em mais de 30 anos.

Brexit antes do Natal: Boris Johnson promete saída antes da data

O dirigente britânico apresentou o manifesto do Partido Conservador em Telford, West Midlands, um documento de 50 páginas que é lançado a cerca de três semanas das eleições antecipadas do Reino Unido, as “mais cruciais da história moderna”, segundo Johnson.
Comentários