Motoristas: Mais de 30 elementos das forças de segurança transportaram combustível

Um total de 26 militares da GNR e sete elementos da PSP transportaram na segunda-feira combustível para Lisboa, Setúbal, Beja, Sintra e Algarve, na sequência da Situação de Alerta declarada devido à greve dos motoristas de matérias perigosas.

gasolina_combustiveis_greve_motoristas

Segundo o Ministério da Administração Interna, os 26 militares da GNR conduziram 13 veículos para abastecer de combustível as regiões de Lisboa, Setúbal, Beja e Algarve, enquanto os sete elementos da PSP asseguraram o transporte de combustível em Lisboa, Setúbal e Sintra.

A Situação de Alerta vigora desde as 23h59 do dia 9 de agosto e as 23h59 do dia 21 de agosto na sequência da Situação de Crise Energética.

Os motoristas iniciaram na segunda-feira uma greve por tempo indeterminado e no mesmo dia o Governo decretou uma requisição civil por considerar que os serviços mínimos não estavam a ser cumpridos.

O âmbito da requisição visa assegurar o “abastecimento de combustíveis destinados à Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA)” e o abastecimento de combustíveis “destinados aos terminais e aos postos de abastecimento servidos a partir do centro de carga da Refinaria de Sines, tendo por referência 50% dos trabalhadores afetos a este tipo de serviços por cada empresa”.

Pretende-se também assegurar o abastecimento de combustíveis destinados aos aeroportos e ao funcionamento das unidades autónomas de gás.

Relacionadas
pedro-pardal-henriques

“Governo vem decretar uma requisição civil que não se justifica a não ser numa ditadura”, diz Pardal Henriques

Porta-voz do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) frisa que esta medida do Executivo “não vem tirar força à greve” e que os motoristas não têm nada a perder já que estão a trabalhar e a ser remunerados no fim do mês.

CGTP diz que requisição civil é mais um passo “na escalada contra o direito à greve”

A central sindical liderada por Arménio Carlos considera que a medida não contribui para resolver o problema existente e estima ainda os partidos a pedirem alterações à lei da greve.
Nome do ficheiro: greve-motoristas-matérias-perigosas.jpg

Motoristas: Trabalhadores a funcionar a 100% mas só oito horas

Todos os motoristas de matérias perigosas estão a trabalhar esta terça-feira, 13 de agosto, no segundo dia de greve e primeiro em que funciona a requisição civil decretada na segunda-feira pelo Governo, garantiu o representante sindical destes trabalhadores.
Recomendadas

Motoristas: Ministro diz que há cada vez mais condições para que greve não aconteça

O ministro do Ambiente e da Transição Energética afirmou esta sexta-feira que “há cada vez mais condições” para que a greve dos motoristas convocada para setembro não aconteça.

Boris Johnson diz que ‘backstop’ “simplesmente tem de sair” do acordo para o Brexit

O primeiro-ministro britânico disse esta quarta-feira o Reino Unido “não pode aceitar” o atual acordo de saída da União Europeia e que o mecanismo de salvaguarda para a fronteira irlandesa “tem de sair” do texto.
pedro-pardal-henriques

Motoristas avançam com greve ao trabalho suplementar no início de setembro

O sindicato dos motoristas de matérias perigosas vai entregar hoje o pré-aviso de greve ao trabalho suplementar, após não chegarem a acordo com os patrões. “O único regime em que as pessoas podem fazer trabalho suplementar sem receberem é a Coreia do Norte”, disse Pardal Henriques.
Comentários