Porque é que Mr. Wonderful prefere mulheres a gerir as suas empresas?

Kevin O’Leary descobriu este fator por acidente, num momento de revisão empresarial em que pediu à sua equipa para avaliar o que é que as empresas que geravam retorno tinham em comum.

O conhecido investidor do programa Shark Tank, Kevin O’Leary, afirma que as empresas onde investe e que mostram maior retorno são todas geridas por mulheres.

“Eu não tenho atualmente nenhuma empresa dirigida por um homem que supere as dirigidas por mulheres”, afirmou o mesmo no fim do primeiro semestre do ano.

O’Leary tem 27 companhias no seu portfólio, sendo que 55% delas têm CEO’s mulheres.

O empresário chegou mesmo a questionar uma das gestoras para tentar chegar ao porquê de empresas geridas por mulheres estarem a apresentar melhores resultados.

“Se quer alguma coisa bem-feita, peça a uma mãe ocupada.”

Talvez o sucesso das empresas tenha que ver com o facto de as mulheres serem consideradas “melhores” a realizar tarefas em simultâneo.

“Pode ser essa a razão”, afirma o investidor, “estas são empresas de médio porte na faixa de vendas de cinco a dez milhões de dólares. A multitarefa é muito importante nestes casos. As grandes corporações são uma coisa diferente, eu faço investimentos de risco, é o arranque da startup para o nível médio. É o momento em que se tem de dar mais, trabalhar muito”.

O’Leary descobriu este fator por acidente, num momento de revisão empresarial em que pediu à sua equipa para avaliar o que é que as empresas que geravam retorno tinham em comum.

“O que é interessante é que estas são empresas de vários setores”, disse ao Business Insider. “Uma é do setor de alimentos, outra é de bens de consumo, outra é uma empresa de manufatura, e uma de biotecnologia, não tem nada a ver umas com as outras e, no entanto, ainda obtém melhores retornos”.

“Eu nunca olhei para o género, não tenho preconceito, quero ganhar dinheiro, estou só a tentar encontrar o caminho com menor resistência e com as melhores pessoas que posso encontrar, sou agnóstico em relação a de onde vieram”.

“Uma coisa é certa: devemos elevar as mulheres para a posição de CEO, porque estamos a obter melhores retornos”, confirmou o investidor. “Não é preciso outra razão nos negócios, os números falam por si mesmos.”

Ler mais
Recomendadas

Banco de Portugal vai sujeitar diretores do risco, compliance e auditoria ao ‘Fit & Proper’

Está em consulta pública até ao final de março um projeto de alteração de Aviso do Banco de Portugal que vai rever os requisitos aplicáveis em matéria de governo interno dos bancos. Entre as principais novidades introduzidas pelo regulador, destaca-se o alargamento do processo de avaliação e adequação diretores do risco, de compliance e de auditoria interna, e um relatório anual de autoavaliação dos bancos sobre o cumprimento das regras de controlo interno.

Coca-Cola Portugal nomeia primeira diretora-geral de nacionalidade portuguesa

Sandra Vera-Cruz junta-se a Rui Serpa que, em 2018, assumiu funções de diretor-geral na Coca-Cola European Partners, como os únicos portugueses com funções de chefia numa das maiores empresas ligadas ao setor das bebidas a nível mundial.

Telefónica aposta mais de três mil milhões na La Liga até 2022

Números assegurados pela Telefónica têm por base o potencial que os conteúdos exclusivos da La Liga Santander e La Liga SmartBank que poderão proporcionar outros ganhos no que respeita à retransmissão dos jogos.
Comentários