Município do Funchal garante continuar a apoiar famílias no próximo Orçamento Municipal

Idalina Perestrelo enumerou uma série de medidas que o Município já pôs em prática no que diz respeito ao apoio às famílias, mais precisamente em matéria de natalidade, bolsas de estudo, apoio aos manuais escolares, como também o apoio aos medicamentos e ao arrendamento.

A Vice-Presidente da Câmara Municipal do Funchal (CMF), Idalina Perestrelo, garantiu, esta quinta-feira, após a Reunião de Câmara, que o Município vai continuar a apoiar as famílias no próximo Orçamento Municipal.

“Votar a favor deste Orçamento é votar a favor de todas as famílias que vivem e usufruem do nosso Município”, afirmou, acrescentando que este é o maior Orçamento Municipal de sempre.

Idalina Perestrelo enumerou uma série de medidas que o Município já pôs em prática no que diz respeito ao apoio às famílias, mais precisamente em matéria de natalidade, bolsas de estudo, apoio aos manuais escolares, como também o apoio aos medicamentos e ao arrendamento.

“Esse trabalho também se tem traduzido no que diz respeito à baixa do IMI e à devolução do IRS aos funchalenses”, conclui a governante, referindo, nesse sentido, o Prémio das Famílias Familiarmente Responsáveis, que o Município vai receber por parte da Associação das Famílias Numerosas.

O prémio visa distinguir o trabalho realizado pela CMF quer no que diz respeito à parte económica das famílias, quer no que diz respeito à qualidade de vida das mesmas.

Recomendadas

Funchal leva cultura para ambiente online

Estão programados 40 eventos, entre abril e maio, em ambiente online.

Funchal reforça aquisição de material médico-veterinário para animais

Entre o material adquirido está vacinas, desparasitantes diversos para cães e gatos, e também outros medicamentos e equipamentos, como chips, seringas e agulhas.

IVBAM suspende até junho taxas de ocupação de espaço em depósito

O conselho de Governo determinou também o estabelecimento de um acordo de cooperação com a Madeira Air Integrated Solutions (MAIS), até aos 600 mil euros, para estimular a expedição dos produtos da agricultura, das pescas e do agroalimentar que reúnam vantagens competitivas nos mercados exteriores da região.
Comentários