Municípios vão ter apoio de 30 milhões de euros para a cultura

António Costa disse esta sexta-feira que as autarquias “são dos maiores investidores em cultura do nosso país” e esta linha servirá para que “possam dispor de condições para, mesmo neste verão, em que não é possível realizar festivais, possam realizar em segurança espetáculos musicais”.

Omer Messinger/EPA

O primeiro-ministro esteve esta sexta-feira reunido com a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e anunciou a criação de uma nova linha de financiamento, de 30 milhões de euros, para apoiar a programação cultural nos concelhos nacionais.

Entre os temas em cima da mesa estiveram ainda os 1.500 milhões de euros que ainda estão por executar dos fundos comunitários e a aplicação dos 300 milhões de euros que são possíveis obter do quadro da reprogramação dos fundos europeus já existentes.

“É fundamental para o país, para o território, para que os municípios, que são dos maiores investidores em cultura do nosso país, possam dispor de condições para, mesmo neste verão, em que não é possível realizar festivais, possam realizar em segurança espetáculos musicais”, explicou António Costa aos jornalistas.

O auxílio de 30 milhões de euros ao poder local servirá para as autarquias realizarem atividades culturais tanto ao ar livre como em espaços interiores e, segundo o Governo, vai permitir que “um dos setores mais duramente atingidos por esta crise possa encontrar um espaço de reanimação”.

“Tem muito a ver com a animação das economias locais através do turismo. Este ano seguramente os portugueses compreendem que é necessário fazer férias cá dentro e vão ter oportunidade de conhecer melhor o nosso país”, referiu o líder do Executivo, referindo-se à zona litoral e ao interior.

Relacionadas

Infografia | Covid-19: ponto de situação em Portugal a 22 de maio

Veja aqui a evolução do novo coronavírus em Portugal, com os indicadores disponibilizados pela Direção-Geral da Saúde (DGS).
Recomendadas

Associação pede adiamento de reabertura de salas comercial de cinema para 2 de julho

Numa carta assinada pelo diretor-geral da FEVIP, António Paulo Santos, e endereçada ao primeiro-ministro, ao ministro da Economia, à ministra da Cultura e ao Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), a associação realça que “não há neste momento, nem se prevê que venha a haver, qualquer estreia de filmes nas primeiras três semanas de junho e os filmes da quarta semana não estão confirmados”.

“Estuário” – O derradeiro porto de abrigo

Neste livro a geografia insinua-se e sussurra-nos ‘Lisboa’ sem o dizer verdadeiramente. Lídia Jorge desnuda as agruras de uma família que regressa à casa paterna em busca de um porto de abrigo.

LIVRO: “A Volta ao Mundo em 80 Dias”

Eis um livro que é uma redescoberta a cada leitura e que nos torna cúmplices das extraordinárias aventuras de Phileas Fogg e Passepartout ao longo do seu périplo mundo fora.
Comentários