“Não dependo de nenhum grupo económico nem de nenhum interesse”, afirma Rui Barreto

Não tenho nada contra os grupos económicos, têm os seus interesses, criam emprego, querem investir e portanto também são importantes”, afirma o líder do CDS-Madeira, no entanto, “quem está investido em funções públicas tem e deve servir-se do interesse geral da população dentro do seu quadro de referência de valores e princípios”.

O candidato do PS-Madeira ao Executivo madeirense, Paulo Cafôfo, há cerca de um mês, dizia que um governo por si liderado iria combater o clientelismo e promover a livre concorrência na economia da Região.

O líder regional do CDS-PP, Rui Barreto, em resposta a Cafôfo, que defendeu o fim do clientelismo, diz que está na política transitoriamente admitindo ainda que existem interesses que estão instalados.

“Tenho profissão e um dia lá voltarei. Tenho sentido de missão ao serviço da coisa pública, sinto o peso dessa responsabilidade. Não dependo exclusivamente de ninguém, de nenhum grupo económico nem de nenhum interesse. Sei que existem e que há pressões, mas tem de haver uma clara separação da política e dos negócios”, diz o centrista.

O líder da oposição regional afirma que como democrata-cristão, os valores para si são muito importantes, salientando, mais uma vez, que é preciso haver separação entre a política e os negócios, no sentido de gerar confiança.

“Não tenho nada contra os grupos económicos, têm os seus interesses, criam emprego, querem investir e portanto também são importantes”, afirma Rui Barreto, acrescentando contudo que “quem está investido em funções públicas tem e deve servir-se do interesse geral da população dentro do seu quadro de referência de valores e princípios”.

Rui Barreto diz que infelizmente no país são demasiados os casos de corrupção, de nepotismo, de clientelas e de interesses meramente comerciais que “afastam os eleitores do seus eleitos, que descredibilizam a classe política, e que não contribuem para que o país seja cada vez mais moderno e democrático”.

Ler mais
Relacionadas

Cafôfo: “Quero acabar com o clientelismo na Madeira”

Candidato socialista às eleições de setembro diz que autonomia não deve servir para separar a Madeira do restante território nacional.
Recomendadas

Governo da Madeira satisfeito com aprovação de regime jurídico que permite guardas armados nos navios

O vice-presidente do Governo Regional disse que esta medida vai promover a competitividade do Registo Internacional de Navios.

Cinema na Madeira gera receita de 338 mil euros

O cinema da Madeira obteve mais 75 mil euros em receitas em comparação com o trimestre anterior.

Madeira: crédito a sociedades não financeiras cai 0,1%

O crédito malparado das sociedades financeiras fixou-se em 200 milhões de euros, no segundo trimestre.
Comentários