“Não desistimos de nenhuma batalha antes de acabar”. PCP apresenta propostas de alteração ao OE 2021

Entre as medidas apresentadas, no campo da justiça fiscal, João Oliveira anunciou que os comunistas pretendem a “atualização dos escalões IRS, o aumento de mais um escalão neste imposto aumentando a progressividade do mesmo, bem como o aumento dos chamados valores do mínimo de existência e dedução especifica, permitindo cumprir o objetivo de redução da tributação dos rendimentos mais baixos, intermédios”.

O presidente da bancada parlamentar do Partido Comunista Português (PCP), João Oliveira, apresentou esta quinta-feira, 29 de outubro, as propostas de alteração ao Orçamento do Estado (OE) para 2021.

“Não desistimos de nenhuma batalha antes de acabar”, garantiu João Oliveira frisando que as propostas do partido ao contrário das do Governo “não estão a pensar no défice, mas sim nas necessidades dos trabalhadores e do povo português”.

Entre as medidas apresentadas, no campo da justiça fiscal, João Oliveira anunciou que os comunistas pretendem a “atualização dos escalões IRS, o aumento de mais um escalão neste imposto aumentando a progressividade do mesmo, bem como o aumento dos chamados valores do mínimo de existência e dedução especifica, permitindo cumprir o objetivo de redução da tributação dos rendimentos mais baixos, intermédios”.

Os comunistas querem ver contemplado no OE 2021 a “reposição da taxa de 13% de todos os produtos vendidos na restauração, revertendo uma medida que foi imposta pelo governo PSD- CDS”, bem como a “redução para 6% do IVA da energia abrangendo eletricidade do gás natural e de botija”.

João Oliveira também apontou que o partido quer que seja assegurado “um serviço público postal que responda às necessidades do país”, que seja criada “uma proposta global para responder à crise do setor da viação civil, garantindo o futuro da TAP pública, a recuperação do controle público dos aeroportos nacionais com o resgate da concessão da ANA aeroportos”.

A instituição bancária liderada por António Ramalho também surge na lista de exigências dos comunistas. O deputado do PCP pediu “o início da recuperação do controlo público do Novo Banco”, de forma a colocar um “fim ao saque que está a ser feito ao povo português que já vai em mais de 8 mil milhões de euros”.

“Acrescentamos ainda uma proposta para a proibição de compensações às concessionárias da PPP rodoviárias que mantiveram intocáveis os seus lucros no contexto da epidemia à custa do Estado português”, destacou João Oliveira sublinhando a proposta de eliminar “portagens em todas as autoestradas SCUT pondo fim a um processo que se arrasta desde 2011 e que responsabiliza de igual modo os governos de PSD e CDS”.

Os comunistas, que ajudaram a viabilizar o OE 2021 na generalidade a 28 de outubro, através da sua abstenção em conjunto com o PEV e PAN, também propõem “o alargamento da gratuitidade dos transportes públicos a todas as crianças e jovens até aos 18 anos” e a fixação em 40 milhões de euros para o programa de remoção de amianto.

 

 

 

Ler mais
Relacionadas

OE2021 aprovado na generalidade com abstenção do PCP, PAN, PEV e das deputadas não-inscritas

Sem surpresas face àquilo que já tinha sido pré-anunciado, a proposta de Orçamento do Estado para o próximo ano recebeu os votos contra do PSD, CDS-PP, Chega e Iniciativa Liberal, bem como da bancada do Bloco de Esquerda.

Verdes apresentam as primeiras propostas de alteração ao OE2021

Entre as respostas que os ecologistas defendem para Portugal, está a “reposição de consultas e horários nas unidades de cuidados de saúde primários, a distribuição gratuita de máscaras sociais e a dedução em sede de IRS, do valor de Máscaras de proteção respiratória, viseiras e gel desinfetante cutâneo, sendo consideradas como despesas de saúde”.

BE e PCP exigem ao Governo fim das leis laborais do tempo da “troika”

Estas posições em relação à legislação do trabalho e à precariedade laboral foram transmitidas no segundo e último dia de debate na generalidade da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2021.
Recomendadas

Web Summit 2020: o que vai poder ver esta quinta-feira

Esta quinta-feira marca o segundo dia da edição 2020 da Web Summit, o maior evento de tecnologia e empreendedorismo do mundo, este ano numa edição 100% online. Acompanhe no site do Jornal Económico e na plataforma JE TV uma vasta cobertura desta cimeira com entrevistas e painéis que vão marcar esta edição

Kai-Fu Lee prevê que empregos em cadeias de fast-food e telemarketing serão substituídos por IA

O ex-presidente da Google China, considerado um dos maiores especialistas em IA no mundo, esteve na Web Summit, onde fez referência à “relutância” da Europa em abdicar da privacidade mesmo que seja por “algo muito importante, como a saúde e a segurança”.

DGS confirma três casos positivos de Covid-19 na sede

A DGS “informa que foram confirmados três casos positivos de covid-19 na sua sede, até ao momento, ficando dez trabalhadores em isolamento profilático”, dá conta uma nota divulgada durante a noite de hoje às redações.
Comentários