“Não há crise, nem mini crise, nem nano crise”, sublinha Costa sobre Mário Centeno

Segundo o primeiro-ministro não existe crise política nem “conflito interno” com o ministro das Finanças: “Segue tudo normalmente a nível político”.

António Costa e Mário Centeno
Mário Centeno e António Costa na residência oficial do primeiro-ministro

O primeiro-ministro falou novamente sobre a alegada crise política entre o presidente da República e o ministro das Finanças, Mário Centeno. António Costa deixou claro: “Não há crise, nem mini crise, nem nano crise. Tudo segue normalmente a nível político”, afirmou esta sexta-feira, escusando-se ainda a fazer qualquer comentário sobre a conversa que teve com Marcelo Rebelo de Sousa. Em causa está a polémica causada pelo pagamento de um cheque de 850 milhões de euros ao Fundo de Resolução para a injeção de capital no banco.

Relativamente à queda de 2,4% do PIB no primeiro trimestre, o primeiro-ministro reafirma que a “é evidente que o impacto desta crise sanitária e da paralisação obrigatória de muitos setores provocou uma quebra abrupta na nossa economia”.

“Tendo em conta aquilo que foi a queda do conjunto da zona euro e parceiros económicos, vamos te um ritmo de recuperação muito condicionado com o ritmo de recuperação dos outros países, desde logo a vizinha Espanha”, disse, em conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros.

“O esforço interno vai ter que ser muito superior e é por isso que é muito importante termos sucesso nesta estratégia de desconfinamento. Temos que o fazer sem deixar descontrolar a pandemia, sem por em causa a saúde dos portugueses, mas retomando a atividade económica para que o desemprego não continue a crescer e a atividade económica a cair”, disse o primeiro-ministro.

Apesar de confiante em relação ao estado epidemiológico da pandemia do novo coronavírus em Portugal, António Costa reconhece que que só “na próxima segunda-feira” haverá dados sobre os primeiros 15 dias do desconfinamento, porém acrescenta que as decisões têm que ser tomadas “com dias de antecedência”, para que tudo possa estar preparado no dia da abertura prevista.”Volto a reafirmar o que disse, se for preciso corrigir, corrigiremos, mas há boas razões para estarmos confiantes”, disse acrescentando que as lojas, restauração e escolas estão “preparadas” para receber todos “em segurança”.

Segundo o primeiro-ministro, os requisitos do “robustecimento do SNS e disponibilização abundante de máscaras e álcool e gel desinfetante” estão “preenchidos” e que isso permite avançar para a segunda fase do plano de desconfinamento.

 

Ler mais
Relacionadas

Praias com novas regras. Chapéus terão 3 metros de distância e vendedores usarão máscara

Pessoas que não façam parte do mesmo grupo terão de ter um distanciamento físico de 1,5 metros no areal. A época balnear abre no próximo dia 6 de junho.

Governo confirma reabertura de restaurantes e lojas esta segunda-feira

António Costa: “Não há razão que nos leve a adiar qualquer medida prevista para entrar em vigor na segunda-feira”
Recomendadas

Governo alemão e Lufthansa fecham resgate que pode ascender a 9 mil milhões de euros

Com este resgate, o governo alemão ficará como principal acionista da companhia aérea com 20% de participação no capital da empresa. O acordo permanecerá pendente até que a Comissão Europeia dê o seu “aval”.

Espanha levanta quarentena para turistas estrangeiros a partir de 1 de julho

Espanha irá levantar a quarentena para turistas estrangeiros a partir de 1 de julho, divulgou esta segunda-feira o governo espanhol, que dá assim um novo passo no alívio das restrições impostas por causa da doença Covid-19.

Alguns dos óbitos do boletim de hoje não são das últimas 24 horas, esclarece Governo

“Apenas seis dos 14 novos óbitos ocorreram nas últimas 24 horas e os restantes nove óbitos incluídos no relatório da situação de hoje resultam da verificação dos certificados de óbitos levado a cabo pela DGS”, disse António Lacerda Sales, na conferência de imprensa diária para atualização dos dados referentes ao covid-19.
Comentários