“Não temos tempo para esperar mais”. Sindicatos e comissão de trabalhadores apelam a acordo sobre a TAP

“Não vemos ainda uma luz ao fundo do tunel. É urgente que se chegue a um acordo entre o Estado e o privado”, diz o presidente do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, Henrique Louro Martins.

TAP Portugal

A comissão de trabalhadores da TAP, o sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação civil e o Sindicato dos técnicos de handling do aeroporto e o Sindicato dos Trabalhadores e Aviação consideram “urgente” que seja alcançado um acordo entre os acionistas da companhia aérea e o Estado.

No fórum da rádio “TSF”, o presidente Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, Henrique Louro Martins, referiu que “Não vemos ainda uma luz ao fundo do túnel. É urgente que se chegue a um acordo entre o Estado e o privado”.

Por sua vez, o presidente Sindicato dos Técnicos de Handling do aeroporto André Teives considera que “nós não temos tempo para esperar mais. O ministro começou a falar em nacionalização, uma semana depois em insolvência. Estas declarações não fizeram do que alertar a União Europeia sobre a situação da TAP”.

Já a coordenadora da comissão de trabalhadores da TAP, Cristina Carrilho relembra a posição assumida antes pelos trabalhadores. “Sempre defendemos que a TAP deveria ser uma empresa nacionalizada ou, pelo menos, uma empresa com controlo público. É claro que não concordamos que sejam postos em casa direitos laborais ou postos de trabalho”.

Relacionadas

Costa: “Hoje será o dia de solução para a TAP”. PM acredita em acordo com acionistas privados

O primeiro-ministro espera chegar a acordo com os acionistas privados, mas avançou que, se “for necessário”, o Estado está preparado para se impor.

TAP é uma empresa estratégica para a economia? “Não, não é”, responde Rui Rio no Twitter

A publicação relatava que no site do aeroporto Sá Carneiro estavam previstas 50 saídas e questionava: “Quantas são da TAP? Duas, ambas para Lisboa. Será isto uma empresa estratégica para a economia?”. O presidente do PSD respondeu: “Não, não é. É uma empresa meramente regional”.

Marcelo espera que “se encontre a melhor solução possível” para a TAP

Questionado sobre se deixar falir a TAP não é uma hipótese, o Presidente da República foi categórico em afirmar que “certamente não é uma hipótese que permita a Portugal ter uma empresa que salvaguarde o interesse português”.
Recomendadas

Setor da cortiça cresceu 35% em volume de negócios entre 2014 e 2018

Responsável por 50% da produção mundial e 60% das exportações de cortiça em todo o mundo, o setor cresce em vários indicadores no mercado português.

“Caixa opera com margens de 1% a 2% contra 15% do gel desinfetante”, diz Paulo Macedo

O presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos considera que o banco público está apto para financiar pequenas, médias ou grande empresas. “Ao longo dos últimos anos, a Caixa e os seus trabalhadores trabalharam para dobrar o nosso Bojador”, afirmou.

Montepio Crédito expande crédito ao consumo na plataforma digital

O Montepio Crédito reforçou a sua aposta no digital e lançou o crédito para aquisição de material escolar e informático na sua plataforma mycreditech, numa altura em que as aulas por meios digitais ganharam relevância.
Comentários