Navigator emite novo empréstimo obrigacionista de 75 milhões de euros

Este empréstimo obrigacionista tem maturidade até 2026, 50% em dezembro de 2025 e 50% em dezembro de 2026, anunciou esta terça-feira a empresa em comunicado enviado à CMVM.

A The Navigator Company decidiu avançar, por oferta particular de subscrição, com um novo empréstimo obrigacionista com o valor de 75 milhões de euros e maturidade até 2026, 50% em dezembro de 2025 e 50% em dezembro de 2026, anunciou esta terça-feira empresa num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Segundo essa nota, o novo empréstimo obrigacionista da empresa de pasta e papel será admitido à negociação na Euronext Access Lisbon a partir de amanhã, dia 6 de janeiro.

Esta operação “insere-se no âmbito da restruturação do financiamento obrigacionista com vencimento em 2023”, explica o referido comunicado.

Também no âmbito deste processo, a The Navigator Company anunciou ao mercado que no passado dia 30 de dezembro procedeu à aquisição de 500 obrigações relativas à emissão ‘Portucel/2015-2023’, registadas na Central de Valores Mobiliários gerida pela Interbolsa.

“A compra foi feita fora de mercado regulamentado ao valor unitário de 100 mil euros, no valor total de 50 milhões de euros. No dia 31 de Dezembro de 2020, a Navigator procedeu à amortização dessas obrigações, tendo permanecido em circulação o montante de 150 milhões de euros”, esclarece o mesmo documento divulgado pelo regulador dos mercados.

Recomendadas

Diretor da Salesforce em Portugal: “Se as empresas investirem no digital sem pensar no médio e longo prazo a experiência do utilizador é má”

Estudo da tecnológica norte-americana conclui que a grande maioria (89%) dos clientes considera que a maneira como uma empresa age durante uma crise demonstra a confiança que é possível ter nela. “Os nossos planos investimento são pessoas, geração de emprego, que é sempre muito importante para a nossa economia”, diz Fernando Braz ao Jornal Económico.

Rede internacional de cabeleireiros critica promoção de “prestação de serviços de beleza ao domicílio”

A Jean Louis David, impedida de trabalhar devido às proibições decretadas pelo Governo durante o confinamento geral, “não considera aceitável que esta situação possa existir”, referindo-se à publicação do estudo que aborda o aumento da procura por estes serviços fornecidos em domiciliário.

Tecnológica IBM expande serviços de cloud híbrida com banca e saúde na mira

A “IBM Cloud Satellite” pretende permitir aos clientes – altamente regulados e com um grande volume de informação para processar -controlarem o armazenamento das suas informações e de grandes quantidades de dados online.
Comentários