PremiumNegócio da banca passa cada vez mais por novos serviços

O responsável pela área de banca e setor financeiro da VdA diz que os bancos estão a deixar de ser bancos de balanço, que concedem crédito e recebem depósitos, para passarem a ser “bancos de serviço”. O que, defende, cria um novo paradigma.

Em entrevista, Pedro Cassiano Santos, sócio da Vieira de Almeida & Associados, analisa a evolução do setor bancário português e antecipa uma mudança no modelo de negócio.

Tendo em conta a sua experiência como advogado ligado às áreas de banca, mercado de capitais e setor financeiro, como é que vê o atual momento do setor bancário português? Depois da resolução do BES e do processo de adaptação que teve lugar nos últimos anos, como é que os bancos portugueses comparam hoje com os outros bancos europeus?
Em primeiro lugar vejo que o setor esta numa transformação também motivada pela nova tecnologia, acelerada e muito importante. Isto não é só em Portugal, pelo contrário, é uma tendência que eu vejo em outras jurisdições, até mesmo com caráter universal. Os bancos estão a deixar de ser bancos de balanço, ou seja, bancos que aceitam depósitos e concedem crédito.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

CPAS aprova plano de proteção de rendimentos para advogados, solicitadores e agentes de execução com incapacidade temporária de trabalho

O seguro de acidentes pessoais e de doença foi desenvolvido pela AIG e permite que os beneficiários beneficiem de uma proteção que lhes garante, nas situações previstas, o pagamento equivalente a 70% da remuneração convencional mensal por si escolhida, sendo que os prémios são assumidos pelo sistema de previdência.

Legal design. O triângulo entre tecnologia, Direito e design que está a entrar a advocacia

“A tecnologia não nos está a substituir. Temos de utilizá-la, dizer que dados pretendemos e para quê. Claro que são ferramentas novas, mas nós continuamos a ser os profissionais”, garante Alexandre Zavaglia Coelho, CEO da consultora brasileira Legal Score.

Optimal assessora AdeA na compra da portuguesa Safebox

As duas empresas operam na área da gestão de arquivos e documentos.
Comentários