Negócio dos aparelhos auditivos milagrosos. Saiba como se pode proteger destas vendas

Os consumidores, na sua maioria cidadãos idosos, mais vulneráveis às estratégias de venda agressiva, e que apresentam algum défice auditivo, afirmam ter conhecimento da venda destes aparelhos através da publicidade e de contactos promocionais, pelo telefone ou à porta de casa, ou mesmo em estabelecimentos comerciais.

Quem ainda não encontrou um anúncio comercial sobre aparelhos auditivos ou melhor sobre a cura milagrosa da surdez ou da perda de audição? Ou quem ainda não foi abordado por promotores deste milagre na audição?

A proliferação de contactos pouco transparentes e desleais, bem como de anúncios publicitários pouco claros, estará, certa e intimamente, relacionada com o número crescente de queixas apresentadas à DECO sobre a compra de aparelhos auditivos, dispendiosos e nada eficazes.

Os consumidores, na sua maioria cidadãos idosos, mais vulneráveis às estratégias de venda agressiva, e que apresentam algum défice auditivo, afirmam ter conhecimento da venda destes aparelhos através da publicidade e de contactos promocionais, pelo telefone ou à porta de casa, ou mesmo em estabelecimentos comerciais.

Após uma primeira apresentação ao produto, os consumidores “apanhados” pela venda de aparelhos auditivos são convidados a participar em rastreios. É aqui que reside a novidade, isto é, procura-se atrair os consumidores através de uma estratégia, aparentemente inocente, de promoção da saúde e prevenção da doença auditiva, mas que esconde uma prática comercial desleal.

Concluído o rastreio, é sugerida a compra de um aparelho auditivo, de preço elevado, frequentemente associado um contrato de crédito. Desprevenidos, desinformados e pressionados, os consumidores acabam por ceder à compra de um produto que não necessitam e que nem têm possibilidade de pagar.

Mais tarde, confrontados com a situação e com as quantias elevadas a pagar, os consumidores lesados ficam desprotegidos.

Se está a enfrentar uma situação semelhante, recorra à DECO, ajudá-lo-emos a cancelar os contratos efetuados.

Informe-se connosco.

Recomendadas

Restauração: Preços afixados com clareza é meio caminho para o bom entendimento entre consumidor e estabelecimento de restauração

A lista do dia e os preços praticados, com taxas e impostos incluídos, devem estar, clara e obrigatoriamente, afixados à entrada do estabelecimento, em local bem visível do exterior.

A herança tem dívidas? Descubra que custos terá de suportar

Fique a par de todos os custos que poderão surgir com uma herança (especialmente se a mesma contiver uma dívida) e algumas dicas para evitá-los.

Serviços Públicos Essenciais: fornecimentos não podem ser cortados até ao final deste ano. O que deve saber

Os avisos de corte que tenham sido enviados ficam sem efeito, não podendo as empresas proceder ao corte de fornecimento, até 31 de dezembro de 2021.
Comentários