PremiumJorge Pavão de Sousa, Eleven Sports: “Todas as operadoras estão em pé de igualdade”

Em entrevista ao JE, o diretor-geral da Eleven Sports Portugal revelou que as decisões iniciais da distribuidora não terão sido as mais acertadas na abordagem ao mercado nacional. Mas desde dia 12 de fevereiro “todas estão em pé de igualdade”. As negociações com as operadoras levaram meses, sendo mesmo necessária a intervenção direta do proprietário da empresa, Andrea Radrizzani.

A Eleven Sports Portugal está disponível nas ofertas dos principais operadores de telecomunicações há pouco mais de um mês, após um processo negocial de avanço e recuos ao longo de mais de cinco meses desde que a empresa começou a operar. Todo o processo ficou marcado por dois momentos-chave: primeiro, a cedência dos direitos de distribuição à Nowo; segundo, o cut-off dessa cedência.

Nesse volte-face, “terá pesado o facto de as decisões iniciais da Eleven Sports, ao entrar no mercado nacional, não enquadrarem bem o que seria ter uma operadora, concorrente das outras operadoras, a liderar as negociações”, contou o diretor-geral da Eleven Sports Portugal ao Jornal Económico.

Artigo reservado a assinantes do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

PremiumEleven Sports quer conteúdos “mais próximos do consumidor português”

Empresa chegou a acordo com as maiores operadoras no último mês e fixou a sua marca em Portugal. Próxima fase: identificar novas oportunidades. Diversificação passa por mais modalidades na grelha.
Recomendadas

Proposta sindical de aumentos salariais para a banca em 2019 nos 2,72%

No dia 16 de abril, o SNQTB, o SBN e o SIB enviaram a sua proposta negocial aos bancos que integram a mesa negocial da Associação Portuguesa de Bancos (APB).

CTT: entre os dividendos generosos e a sombra da renacionalização

A Assembleia Geral dos CTT realiza-se esta terça-feira e os acionistas preparam-se para votar a distribuição de dividendos – podem remunerar os seus acionistas com 15 milhões de euros do exercício de 2018. Mas o futuro da empresa é incerto, pois nada impede que possa ser renacionalizada.

Sonae Sierra poupou 25 milhões em 2018 com gestão sustentável

A empresa gestora de centros comerciais diz ter cumprido no ano passado 86% dos seus objetivos de sustentabilidade.
Comentários