Mestrado de Gestão de Informação da Nova IMS volta a ser considerado o melhor do mundo, pelo quarto ano consecutivo

Universidade portuguesa tem sete mestrados e pós-graduações referenciados no ranking da agência internacional Eduniversal. Seis dos programas analisados foram considerados como sendo os melhores de Portugal e encontram-se no top três a nível europeu.

5º – Universidade Nova de Lisboa, 2017 – 188 milhões de euros

O mestrado em Gestão de Informação, com especialização em Gestão do Conhecimento e Business Intelligence, da portuguesa Nova Information Management School (Nova IMS), voltou a ser considerado o melhor do mundo na área pela agência internacional Eduniversal, o que acontece pelo quarto ano consecutivo.

Este mestrado é referenciado no ranking desde 2014 e é classificado na primeira posição desde 2017.

“Este é um reconhecimento que alcançamos pelo quarto ano consecutivo, numa área onde existe hoje uma forte concorrência entre universidades”, refere Miguel de Castro Neto, coordenador científico do curso, em declarações ao Jornal Económico (JE).

“Sabemos que rankings há muitos, mas a verdade é que não conheço muitas universidades portuguesas que possam dizer que têm o melhor mestrado do mundo”, acrescenta.

O ranking da Eduniversal referencia sete dos mestrados e pós-graduações da Nova IMS. Destaca-se o mestrado em Estatística e Gestão de Informação, com especialização em Análise e Gestão de Risco, que ocupa o segundo lugar a nível mundial, e a pós-graduação em Gestão de Informação e Business Intelligence na Saúde, classificada na terceira posição a nível global. Seis dos programas analisados foram considerados ainda como sendo os melhores de Portugal e encontram-se no top três a nível europeu.

Em comunicado, a Nova IMS aponta que, no final de 2020, a quantidade de novos dados criados atingiu os 44 biliões de gigabytes – 90% dos quais apenas nos últimos dois anos – e que a International Data Corporation prevê que esse número atinja os 175 biliões de gigabytes em 2025.

A recolha e capacidade de análise da informação – com recurso às mais avançadas técnicas de análise de informação e ferramentas de inteligência artificial – são, por isso, competências extremamente valorizadas pelo mercado, com aplicação transversal aos vários setores de atividade, refere.

Ao JE, Miguel de Castro Neto aponta que se trata de áreas em que “não existem profissionais suficientes para a procura do mercado”

“A Nova IMS, que se dedica ao estudo da analítica de dados aplicada aos mais diferentes setores de atividade, [tem] uma taxa de empregabilidade de 100%. Regra geral, os nossos alunos recebem ofertas de emprego ainda antes de terminarem os cursos”, acrescenta.

O sistema de avaliação internacional da Eduniversal abrange mais de 5.500 mestrados, pósgraduações e MBA, em 154 países. Assenta num sistema de ‘scoring’ que cruza múltiplas variáveis, como a opinião dos recrutadores, o nível de excelência da escola, o salário no primeiro emprego, o nível de satisfação dos alunos – medido através de inquérito – o número de diferentes nacionalidades registadas nos cursos, entre outros.

Ler mais
Recomendadas

ISG recebe certificação da qualidade esta quinta-feira

O Certificado relativo à Norma NP EN ISO 9001:2015 legitima a Qualidade e Excelência do serviço prestado em formação (graduada e pós-graduada), investigação, interação com a sociedade e internacionalização nas áreas disciplinares de gestão, economia, recursos humanos e turismo.

CTT lança estágios de Verão para estudantes do ensino superior

Os estágios destinam-se a alunos que frequentem, pelo menos, o segundo ano da licenciatura ou um mestrado. As candidaturas podem ser feitas até 24 de maio, através do site da empresa.

Erasmus+: 26 mil milhões para apoiar mobilidade estudantil

Apresentado pela Presidência Portuguesa da União Europeia, o novo Erasmus+ quase duplica o orçamento anterior. Inclusão, digital e sustentabilidade são as novas áreas de aposta. Portugal quer triplicar o número de beneficiários do programa em 2021|27.
Comentários