Grupos Your e Bittencourt firmam parceria internacional para Portugal, Espanha e Brasil

As consultoras Your e Bittencourt acordaram uma parceria internacional, criando o Grupo Bittencourt Europa para os mercados português e espanhol, estabelecendo uma ponte entre a Europa e o Brasil. A parceria procura abrir portas nos três países, reforçando a oferta de ambos os grupos.

Sara do Ó, fundador e CEO do Grupo Your, e Lyana Bittencourt, diretora executiva do grupo BIttencourt | Foto cedida

O grupo português Your e o grupo brasileiro Bittencourt fecharam uma parceria internacional. A parceria estava a ser preparada desde o início de 2020, culminando, neste mês de fevereiro, na criação do grupo Bittencourt Europa, que vai operar em Portugal e Espanha e fazer a ponte entre o mercado europeu e o mercado brasileiro. Com esta parceria, ambos os grupos vão procurar reforçar a oferta de novos serviços para apoiar o desenvolvimento e expansão das empresas, sobretudo no atual contexto pandémico.

O grupo Your conta com 14 anos de atividade e é uma empresa focada em contabilidade e consultoria fiscal, tendo também uma área de consultoria de recursos humanos. Já o grupo Bittencourt, com mais de 30 anos de existência é uma referência no Brasil e está em plena fase de expansão internacional, sendo uma consultora especializada no desenvolvimento, gestão e expansão de redes e cadeias de negócios.

Ao Jornal Económico (JE), a fundadora e CEO do grupo Your, Sara do Ó, e a diretora executiva do grupo Bittencourt, Lyana Bittencourt, explicam que, através do intercâmbio do conhecimento dos três mercados, querem ajudar as empresas a criar “oportunidades de investimento para quem deseja expandir os seus negócios internacionalmente”.

Para o tecido empresarial português esta parceria vai disponibilizar programas especializados para a expansão de negócios, “com a identificação e implementação da melhor estratégia de canais de venda e distribuição, formatação e implementação de sistemas de franchising”, procurando “garantir um melhor crescimento da atividade de gestão das empresas portuguesas”.

Sara do Ó explica ao JE que a parceria com o grupo Bittencourt ocorre numa altura em que ambas as consultoras procuram potenciar internacionalmente a sua operação. “Encontrámos uma sinergia de valores, cultura e propósitos”, refere Lyana Bittencourt, por sua vez.

“As nossas empresas precisam de se internacionalizar, de modernizar o ponto de venda, e fazer com que a chamada customer journey seja mais eficiente e que ao mesmo tempo tenha uma maior componente de fidelização às marcas, sejam elas serviços ou produtos. O que nós quisemos – e queremos – é aliar o propósito e o know-how do grupo Bittencourt ao nosso e, desta forma, criar um ecossistema de trabalho válido e proveitoso para todos os intervenientes”, explica a CEO do grupo Your.

Acresce, segundo a diretora executiva do grupo Bittencourt, o “potencial de desenvolvimento do mercado de franquias português e espanhol, através da expansão dos negócios de forma padronizada e escalável”. “Além disso, estamos num momento ótimo de garantir que os negócios cresçam de forma sustentável e com canais integrados para atender a uma demanda cada vez maior por conveniência do mercado consumidor”, salienta Lyana Bittencourt.

Questionada sobre a escolha dos mercados português e espanhol para expandir a marca Bittencourt, a líder da consultora brasileira salienta a “proximidade cultural importante entre esses mercados”. “São mercados bastante abertos a novos modelos de negócios e com uma intersecção de negócios que tende a se tornar ainda mais importante”, assume.

Sara do Ó, por sua vez, vê nas “novas dinâmicas do mercado internacional, nas quais o Brasil assume uma relevância cada vez maior”, uma oportunidade, além “da facilidade de comunicação”. Nesta lógica, é “cada vez mais importante rever o reforço das relações comerciais” entre Portugal e o Brasil. Acrescem as relações comerciais que Portugal tem com Espanha. Assim, a relação entre os três mercados “advém de uma certa afinidade cultural e proximidade geográfica”.

A fundadora do grupo Your acrescenta que esta parceria internacional pode ser uma oportunidade para Portugal, enquanto “principal hub [incubadora] da Península Ibérica.  Isto porque faltam serviços para a “expansão e internacionalização dos negócios” nacionais. “Não queremos que a perceção de Portugal no mercado global seja a de um pais periférico”, diz. Por isso, vê a parceria com o grupo Bittencourt uma forma de “aumentar a relocalização de investimento para Portugal, a reindustrialização através da digitalização, o intercâmbio de especialização e boas práticas de gestão das empresas, que visam impulsionar a transformação de negócios e a criação de oportunidades de investimento para quem deseja uma expansão internacional assente numa agilidade tecnológica”.

“Existem pequenas empresas que prestam serviços de apoio à expansão de redes de negócios e franchising, mas nada tão especializado e completo como a oferta do Grupo Bittencourt”, complementa.

Por outro lado, o grupo Bittencourt Europa será uma oportunidade de “posicionar o grupo Your em Portugal e na Europa, da mesma forma que o Grupo Bittencourt é visto no Brasil”. “Queremos ser uma referência na consultoria de redes de negócios e franchising”, aponta Sara do Ó.

Lyana Bittencourt afirma que, apesar do cenário de “incerteza” por causa da pandemia, o grupo Bittencourt Europa “aposta que as empresas que conseguiram manter-se saudáveis neste período crítico vão começar a retomar os seus planos de expansão e de desenvolvimento de novos negócios”. “Estamos prontos para auxiliá-las nesse processo”, afiança.

“Ao mesmo tempo, temos um mercado de franquias a ser desbravado, profissionalizado e fomentado. Estamos animados com essa perspetiva”, acrescenta.

Que sectores poderão expandir-se e, assim, acelerar a retoma em 2021, após o impacto da pandemia? Todos cujas empresas se souberam “reinventar e acelerar os seus processos de transformação digital, abrindo-se à inovação de forma nunca imaginada”, responde Lyana Bittencourt.

A diretora executiva do grupo Bittencourt assinala que a hotelaria, o turismo, a restauração e o têxtil foram sectores “mais impactados negativamente” pela pandemia. Mas espera que, “nos próximos meses, com a aceleração da vacinação e reabertura do comércio, essas grandes disparidades devem diminuir e o mercado voltar a equilibrar-se”. Assim, “as empresas que tiverem feito a lição de casa, ou seja, as que conseguiram manter-se saudáveis e que procuraram novas formas de atendimento à procura do mercado consumidor, saem mais fortes e melhor preparadas para 2021”.

Com o impulso desta parceria, o grupo Your tem o objetivo de faturar dez milhões de euros. Já o grupo Bittencourt não revelou perspetivas financeiras.

Ler mais
Recomendadas

“Falar Direito”. “Vistos Gold vieram para ficar e Portugal tem uma posição simpática a nível mundial”

“Na minha opinião, os Vistos Gold vieram para ficar. Acho que Portugal tem uma posição muito simpática a nível mundial. O nosso passaporte, que também alicia muitos investidores a optarem por Portugal, alicia muitos a investir via Portugal”, realçou a advogada da CRS, Raquel Galinha Roque.

“Falar Direito”. “Investimento estrangeiro? Lisboa e Porto estão na pole position”

“Lisboa e Portugal no geral têm-se vindo a colocar numa pole position em termos de investimento estrangeiro nomeadamente ao nível dos Vistos Gold. O Porto também tem vindo a ganhar muito com esta política”, realçou a advogada da CRS, Raquel Galinha Roque.

Regime dos vistos gold vai mudar em janeiro de 2022. Quais as implicações para os investidores? Veja o “Falar Direito”

Acompanhe o “Falar Direito” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.
Comentários