Nobel da Medicina de 2019 vem a Portugal para participar numa conferência da Nova Medical School

Peter Ratcliffe é nefrologista e trabalha no Francis Crick Institute, no Reino Unido. A par dos norte-americanos William G. Kaelin Jr e Gregg L. Semenza, foi agraciado com um nobel pelo trabalho considerado fundamental “para novas estratégias no combate à anemia, ao cancro e muitas outras doenças”.

O laureado com o Nobel da Fisiologia ou Medicina de 2019 Peter J. Ratcliffe vai estar em Portugal entre os dias 16 e 20 de outubro para participar na 11.ª edição do iMed Conference, um evento de debate sobre a medicina organizado pela Associação de Estudantes da Nova Medical School, foi esta quarta-feira anunciado.

O britânico Peter J. Ratcliffe vai marcar presença no evento que decorre no Teatro Camões, a par da médica norte-americana Lisa Sanders, que protagoniza a recém-estreada série Diagnosis na Netflix, o pioneiro no transplante de útero nos EUA, o médico Giuliano Testa, e o professor emérito de Psiquiatria Social e investigador principal do projeto AVATAR para o tratamento de alucinações auditivas, Thomas Craig. O responsável pela investigação e desenvolvimento da vacina do vírus do papiloma humano (HPV),  John T. Schiller, também vai marcar presença.

A par dos norte-americanos William G. Kaelin Jr e Gregg L. Semenza, Ratcliffe foi agraciado com o Nobel da Medicina, em 7 de outubro deste ano, “pelas suas descobertas de como as células sentem e se adaptam à disponibilidade de oxigénio”. O trabalho dos três médicos foi considerado fundamental “para novas estratégias no combate à anemia, ao cancro e muitas outras doenças”.

Peter Ratcliffe é nefrologista e trabalha no Francis Crick Institute, no Reino Unido. William Kaelin é especialista em medicina interna e oncologia e está em Harvard, nos Estados Unidos. Gregg Semenza é pediatra e trabalha na Universidade John Hopkins, também nos EUA. De acordo com o “Washington Post”, foi Semenza quem iniciou o trabalho nos anos 1990, agora premiado pela Real Academia Sueca. O trio vai tripartir o prémio de nove milhões de coroas suecas (872 mil euros aproximadamente).

Ler mais
Recomendadas

Perdas até 21 mil milhões. Universidades britânicas em risco de declarar insolvência devido à Covid-19

Sem identificar, o estudo da IFS conclui que as universidades mais prestigiadas terão mais probabilidades de sobreviver aos impactos da crise pandémica. Antecipam-se perdas que podem chegar a 21 mil milhões de euros.

Portugal discute “novas linhas de colaboração” na ciência e ensino superior com Reino Unido

Manuel Heitor falava na abertura do LUSO 2020, o encontro anual dos estudantes e investigadores portugueses no Reino Unido, organizado pela associação PARSUK, formada por estudantes e investigadores portugueses no Reino Unido.

Faculdades de Medicina vão poder abrir mais vagas no próximo ano letivo

A orientação aplica-se a todas as instituições, incluindo aquelas sediadas em Lisboa e Porto, para as quais são fixadas regras diferentes noutros cursos, à semelhança do despacho anterior, que dividia já o país em três regiões em termos de acesso.
Comentários