Nobel da Medicina para descoberta sobre mecanismo celular que regula oxigénio

Os premiados foram os investigadores William G. Kaelin Jr, Sir Peter J. Ratcliffe e Gregg L. Semenza, segundo o anúncio feito esta segunda-feira pelo comité do Nobel no Instituto Karolinska, em Estocolmo.

O Prémio Nobel da Medicina e Fisiologia de 2019 foi atribuído aos investigadores William G. Kaelin Jr, Sir Peter J. Ratcliffe e Gregg L. Semenza pelas suas descobertas de como as células reagem e se adaptam à disponibilidade de oxigénio.

O anúncio foi feito esta segunda-feira de manhã, no comité do Nobel no Instituto Karolinska, em Estocolmo, pelo secretário do Comité Nobel, Thomas Perlmann. O prémio tem um valor de nove milhões de coroas suecas (cerca de 871 mil euros).

A deteção de oxigénio é essencial para um grande número de doenças. As descobertas feitas pelos vencedores deste ano do Prémio Nobel são fundamentais para a fisiologia e abriram o caminho para o desenvolvimento de novas estratégias para combater doenças como a anemia ou o cancro.

Esta semana serão atribuídos os restantes prémios Nobel nas áreas da Física, Química, Literatura e Paz.

Ler mais
Recomendadas

José Mourinho é o novo treinador do Tottenham

O português vai treinar o clube de Londres, o terceiro emblema inglês da sua carreira. José Mourinho regressa à Premier League depois de a ter conquistado por três vezes com o Chelsea.

Greta Thunberg vai ao parlamento português entre final do mês e início de dezembro

Há uma semana, os deputados da comissão parlamentar de Ambiente aprovaram, por unanimidade, a proposta para a vinda da ativista sueca a Portugal.
Comentários