Nobel da Medicina para descoberta sobre mecanismo celular que regula oxigénio

Os premiados foram os investigadores William G. Kaelin Jr, Sir Peter J. Ratcliffe e Gregg L. Semenza, segundo o anúncio feito esta segunda-feira pelo comité do Nobel no Instituto Karolinska, em Estocolmo.

O Prémio Nobel da Medicina e Fisiologia de 2019 foi atribuído aos investigadores William G. Kaelin Jr, Sir Peter J. Ratcliffe e Gregg L. Semenza pelas suas descobertas de como as células reagem e se adaptam à disponibilidade de oxigénio.

O anúncio foi feito esta segunda-feira de manhã, no comité do Nobel no Instituto Karolinska, em Estocolmo, pelo secretário do Comité Nobel, Thomas Perlmann. O prémio tem um valor de nove milhões de coroas suecas (cerca de 871 mil euros).

A deteção de oxigénio é essencial para um grande número de doenças. As descobertas feitas pelos vencedores deste ano do Prémio Nobel são fundamentais para a fisiologia e abriram o caminho para o desenvolvimento de novas estratégias para combater doenças como a anemia ou o cancro.

Esta semana serão atribuídos os restantes prémios Nobel nas áreas da Física, Química, Literatura e Paz.

Ler mais
Recomendadas

Matrículas só são obrigatórias para alunos que começam novo ciclo

Ministério da Educação decidiu mudar as regras face às dificuldades sentidas nas últimas semanas por pais e encarregados de educação. Site das matrículas até foi alvo de ataques informáticos.

Portugal regista 44.416 casos e 1.629 óbitos por Covid-19

Região de Lisboa e Vale do Tejo regista o número mais elevado de infeções ao dia de hoje, tendo confirmado mais 207 casos em relação aos dados da véspera. O número de casos recuperados em Portugal aumentou para 29.445.

Ministério da Educação dá vínculo a mais 872 professores

A Direção-Geral da Administração Escolar publicou esta terça-feira, 7 de julho, as listas definitivas do concurso externo de professores que pode consultar aqui. O número candidatos voltou a subir, passando de 34 mil, em 2019, para quase 37 mil em 2020.
Comentários