NOS compra energia renovável à EDP por 32 milhões de euros para os próximos 11 anos (com áudio)

A energia contratualizada anualmente entre a NOS e a EDP equivale ao consumo médio de eletricidade de mais de 27 mil habitações e permite evitar, em média, a emissão de mais de 17 mil toneladas de dióxido de carbono por ano, o equivalente a 285 mil viagens de carro entre Lisboa e o Porto.

Presidente executivo da NOS, Miguel Almeida, e a presidente da EDP Comercial, Vera Pinto Pereira | Foto cedida: Telmo Miller

A NOS quer apostar nas energias renováveis e, por isso, fechou um acordo de compra de eletricidade renovável a longo prazo com a EDP, foi esta terça-feira anunciado. O contrato prevê o fornecimento de energia renovável pela energética durante onze anos, por um valor a rondar os 32 milhões de euros.

Em comunicado, o operador liderado por Miguel Almeida fez saber que o acordo “pressupõe a construção de um novo parque eólico, bem como o fornecimento de 62 gigawhatts (GWh) anuais de eletricidade verde”. Esta operação “vai permitir à NOS ter 40% da sua operação alimentada por energia verde já em 2023”.

A energia renovável fornecida anualmente à NOS vai equivaler “ao consumo médio de eletricidade de mais de 27 mil habitações e permite evitar, em média, a emissão de mais de 17 mil toneladas de dióxido de carbono por ano, o equivalente a 285 mil viagens de carro Lisboa-Porto”.

Para o CEO da NOS, Miguel Almeida, “este é um passo absolutamente pioneiro para um operador de telecomunicações em Portugal e será essencial para a concretização do compromisso assumido pela NOS, de alinhar os seus esforços de descarbonização com os objetivos do Acordo de Paris e com a meta de neutralidade carbónica do Pacto Ecológico Europeu”.

Vera Pinto Pereira, presidente da EDP Comercial, vê neste acordo um reforço da posição da EDP enquanto parceira das empresas para a transição energética. “Este acordo com a NOS, realizado com a colaboração da EDP Renováveis, mostra não só a força do caminho que a EDP está a percorrer como grupo, mas também a sua capacidade para desenhar soluções à medida dos seus clientes que, como a NOS, fazem escolhas cada vez mais sustentáveis”, salienta.

Ler mais
Recomendadas

Porto de Lisboa com protocolo de segurança para receber cruzeiros

No âmbito do processo de levantamento gradual das restrições impostas para travar a covid-19, “a partir das 00:00 horas desta segunda-feira e até às 23:59 horas de 30 de maio, é permitido o embarque, desembarque e licenças para terra de passageiros e tripulações dos navios de cruzeiro em portos localizados em território nacional continental”, lembra a Administração do Porto de Lisboa (APL), num comunicado hoje emitido.

“Senti como uma agressão. Um modo de agir preconceituoso e racista”. Deputada Romualda Fernandes reage a episódio com a Lusa

Citada hoje pelo Público, a deputada socialista refere que “infelizmente” não lê o episódio “como um lapso, ou como um erro”, porque no seu entender “reflete um pensamento, um modo de agir profundamente preconceituoso e racista” que sentiu “como uma agressão”.

Turismo em Portugal deverá crescer 20% a 30% em 2021, estima Governo

“Se tudo continuar a correr bem ao nível do plano de vacinação, do controlo das novas estirpes e do certificado verde digital, temos boas perspetivas para ficarmos neste ano 20% a 30% acima do ano passado”, realçou a governante em entrevista.
Comentários