NOS tem 30 vagas para estágios remunerados nas áreas de tecnologia e gestão

O programa terá a duração de um ano com data prevista de arranque já em outro. O NOS Alfa regista uma taxa de conversão positiva de cerca de 80% e é uma fonte de contratação com um peso significativo na NOS, diz a operadora.

A operadora de telecomunicação abriu um programa de estágios remunerados com 30 vagas para talentos na área da tecnologia e gestão. o. O programa terá a duração de um ano e arrancam já em outubro.

A decorrer desde 2015, o 00 já acolheu mais de 180 estagiários e destine-se a finalistas de mestrado ou jovens recém-graduados, com experiência profissional máxima de um ano. Nesta sétima edição do programa, as 30 vagas são para candidatos na área da tecnologia (Alfa Tech) e gestão (Alfa Biz), com formação em advanced analytics, big data, cybersecurity, software development, system engineering, multimédia, gestão, economia e tecnologias de informação.

Além dos conhecimentos académicos, a Nos frisa ser essencial que os candidatos estejam “motivados” e “ambicionem fazer a diferença num mercado tão competitivo e dinâmico como o das telecomunicações”.

Após os estágios, garante a operadora, os trainees podem vir a integrar aos quadros da Nos, uma vez que este programa regista uma taxa de conversão positiva de cerca de 80% e “é uma fonte de contratação com um peso significativo na Nos”.

Tendo em conta o atual contexto, a operadora adaptou alguns procedimentos inerentes ao processo de recrutamento para este programa de estágios, como as entrevistas, que agora decorrem online ou, ainda, a fase de onboarding que, atualmente, acontece num modelo híbrido, entre remoto e presencial.

 

Recomendadas

Abandono no ensino superior aumentou em 2019/20 contrariando tendência anterior

Das licenciaturas aos mestrados integrados, incluindo também os cursos técnicos superiores profissionais (CTeSP), a percentagem de estudantes que já não estavam no sistema de ensino superior um ano após iniciarem o curso aumentou ligeiramente e de forma transversal no ano letivo 2019/2020, em instituições públicas e privadas.

Tribunal de Contas: “A autorização para a aquisição de meios digitais para as escolas foi tardia”

Uma auditoria do Tribunal de Contas critica a decisão política tardia para a aquisição de 386 milhões de euros em meios digitais. Aconteceu “no final do ano letivo 2019/20, e condicionada à aprovação de fundos comunitários”. Consequência? “Os meios só começaram a chegar aos alunos no ano letivo 2020/21”.

Abreu lança curso sobre o mercado de cripto ativos

O curso vai abordar os desafios jurídicos e fiscais do mercado português e europeu e será lecionado em língua inglesa em formato online.
Comentários