Nova Iorque, Paris e agora Lisboa. Americana Dashlane chega a Portugal

“Portugal tem uma incrível pool de talentos tecnológicos”, disse ao Jornal Económico Ryan Merchant, senior manager da empresa norte-americana que se dedica a gerir passwords de utilizadores domésticos e organizações.

A empresa norte-americana que promete pôr fim aos cadernos e post-its com a listas de passwords que utilizamos chegou esta semana a Portugal, com objetivos de crescer no mercado nacional a nível de clientes e de colaboradores. Com escritórios no Flatiron District, em Nova Iorque, e no bairro parisiense de Montmartre, a Dashlane aterrou agora no Atrium Saldanha, em Lisboa.

“O nosso principal objetivo é contratar os melhores talentos para trabalhar na Dashlane. Portugal tem uma incrível pool de talentos tecnológicos e a nossa missão é construir a equipa de Lisboa com funcionários de topo mundial. Estamos entusiasmados por juntar ainda mais pessoas altamente qualificadas e motivadas à nossa equipa”, disse ao Jornal Económico Ryan Merchant, senior manager.

As portas do escritório de Lisboa abriram no início desta semana como veículo de crescimento mundial da Dashlane, face à popularidade que a plataforma está a ganhar no país. A app conta atualmente com 10 milhões de utilizadores em 180 países, 200 mil dos quais são portugueses. “Vimos o crescimento dos nossos utilizadores em Portugal aumentar 20% em comparação com o ano passado. Quatro dos cinco maiores meses em termos de downloads em Portugal aconteceram este ano. É um feito incrível que esperamos continuar em 2019 e depois”, explicou Ryan Merchant, que coordena a área de Marketing a partir do escritório dos Estados Unidos.

O porta-voz da empresa nova-iorquina espera continuar a ganhar adeptos no mercado português, e que esse volume tenha impacto no crescimento dos negócios da gestora de passwords. É nessa ótica que a Dashlane prevê contratar, pelo menos, 40 novos trabalhadores – sobretudo para reforçarem os departamentos de Produto, Engenharia e Apoio ao Cliente – para o novo espaço na capital portuguesa nos próximos 18 meses. O processo de recrutamento já começou há alguns meses e, segundo a empresa, existe vaga para Training and Quality Specialist – User Support.

A apenas um mês da cimeira tecnológica Web Summit, o anúncio da chegada da Dashlane a solo português coincide também a confirmação da presença do seu CEO, Emmanuel Schalit, CEO, no palco “Growth Stage” da Altice Arena. O número um da gestora de passwords discursa no dia 6 de novembro. “Será a terceira vez que discurso na Web Summit e estou muito feliz de o fazer novamente no momento de expansão da Dashlane Lisboa. É o momento perfeito, uma vez que pretendemos contratar talentos de diversas áreas para a nossa equipa global em expansão”, disse Emmanuel Schalit.

A Dashlane tem um pacote gratuito, que permite gerir até 50 senhas e preencher automaticamente informações pessoais num dispositivo, e um Premium (com um custo mensal de 3,33 euros) para passwords e dispositivos ilimitados, monitorização de endereços potencialmente nocivos e VPN segura.

Ler mais
Relacionadas
Password

Quer criar uma password forte e memorável? Esta é a melhor forma

Na semana em que se comemorou o dia internacional da password, aqui ficam alguns conselhos para ter uma password segura e memorável.
Recomendadas

Colaboradores descuidados são fonte de vulnerabilidades mais perigosas

34% das empresas e organizações inquiridas no âmbito o EY Global Information Security Survey 2018-19 colocam os descuidos internos à cabeça das vulnerabilidades.

“A lei da igualdade salarial vai mudar práticas organizacionais”

Rosa Monteiro prevê uma “mudança de paradigma” com a nova lei da igualdade salarial entre homens e mulheres. Alerta para a dimensão cultural da desigualdade de género e critica o “efeito perverso” da linguagem utilizada por “atores estatais”, como os juízes.

Ginjinha portuguesa chega aos Estados Unidos “nas próximas semanas”

A marca de ginjinha portuguesa Ginja9 estará em mais de 100 lojas norte-americanas “nas próximas semanas”, disse à Lusa o fundador Alexander Dias, que fechou contratos para a entrada no Texas, New Hampshire e Tennessee.
Comentários