Novas ambulâncias do INEM ficam às escuras após avaria

“As cinco ambulâncias estão a ser alvo de uma intervenção por parte da marca Iveco, revendo o sistema de sinalização de emergência que tem apresentado algumas anomalias”, explicou o Instituto Nacional de Emergência Médica ao “JN”.

INEM/Twitter

Das 20 novas ambulâncias do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) nove estão paradas e cinco ficaram às escuras após uma avaria elétrica, relata o “Jornal de Notícias” (JN) na edição desta terça-feira.

“As cinco ambulâncias [com avaria elétrica] estão a ser alvo de uma intervenção por parte da marca Iveco, revendo o sistema de sinalização de emergência que tem apresentado algumas anomalias”, explicou o INEM ao JN.

Os veículos em causa haviam sido entregues ao instituto no passado mês de abril. Contudo, as sirenes e as luzes de emergência desligam-se em andamento e a célula sanitária (onde viaja o utente e o técnico) fica sem energia para alimentar os dispositivos médicos.

Ao mesmo jornal, o vice-presidente do Sindicato dos Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar confirmou que a entidade recebeu “queixas diárias” por causa de ambulâncias com avarias. Rui Lázaro adiantou ainda que no Norte as viaturas com problemas estão a ser substituídas por outras “muito desgastadas”.

Recomendadas

Avião da Qantas bate recorde: de Nova Iorque a Sydney sem escala

A viagem permitiu ligar as duas cidades em pouco mais de 19 horas. O avião transportava 50 passageiros e tripulantes e quando aterrou, ainda tinha combustível para mais 70 minutos.

Portugal é o terceiro país da UE com menor percentagem de jovens

“Retrato de Portugal na Europa”, lançado neste domingo pela Pordata, destaca posição relativa de Portugal em 11 áreas, da demografia aos indicadores macroeconómicos.

Proteção Civil regista 307 ocorrências no Porto e 41 em Braga devido ao mau tempo

Proteção Civil registou este sábado 307 ocorrências no distrito do Porto e 41 em Braga devido ao mau tempo, sendo sobretudo relacionadas com carros submersos e inundações de estradas secundárias.
Comentários