Novas matrículas arrancam em março. Sem data e sem traços separadores

Depois de mais de cinco milhões de chapas, o atual modelo esgota as suas possibilidades. O novo formato vai ter duas letras, dois algarismos, duas letras, sem data e traços separadores, mas com os grupos de caracteres espaçados. Veja como vão ficar as novas matrículas.

HO/Reuters

As novas matrículas começam a ser vistas nas estradas portuguesas a partir de março. Para as matrículas antigas deixarem de vigorar, é preciso que o atual modelo esgote as possibilidade no formato em vigor (dois algarismos, duas letras, dois algarismos). Só então, é que as novas matrículas (duas letras, dois algarismos, duas letras) começam a ser emitidas, o que deverá acontecer a partir de março.

“Do atual modelo de números de matrículas, constituído por dois grupos de dois algarismos e um grupo de duas letras, estavam ainda disponíveis para serem atribuídas no início deste ano, cerca de 60.220 matrículas”, segundo o Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT).

“Prevê-se que este modelo, do qual desde 25 de maio de 2005 até agora, foram reservadas 5.109.263 matrículas, se esgote no final do próximo mês de fevereiro”, acrescenta esta entidade pública.

As novas matrículas deixam de ter a barra amarela que contém o mês e o ano em que as matrículas foram registadas. Mas também deixam de ter os “traços separados de grupos de caracteres”, mantendo, no entanto, um “espaçamento entre os caracteres”.

Em relação ao fim do mês e ano na matrícula, o IMT aponta que Portugal era o único que apresentava estes elementos na chapa de matrícula, o que gerava “más interpretações legais” noutros países, por este elemento ser “utilizado em muitos países para indicar a data de validade do número da matricula e não o ano e mês do veículo, elementos que nada têm a ver com o número de matricula”.

Já as chapas de matrícula dos ciclomotores, motociclos, triciclos e quadriciclos vão passar a apresentar no seu canto superior esquerdo o símbolo distintivo de Portugal (P) bem como as 12 estrelas da União Europeia num fundo azul.

Ler mais

Relacionadas

Novas matrículas vão deixar de ter o mês e o ano de registo

Além de Portugal, só as matrículas em Itália é que contêm a data. O Governo justifica a decisão O Governo por a data gerar “interpretações incorretas por parte das entidades fiscalizadoras do trânsito” noutros países europeus.
Recomendadas

Bancos têm até hoje para enviar ao regulador planos de prevenção do branqueamento de capitais

Os bancos têm até hoje para enviarem ao Banco de Portugal os planos de financiamento e os relatórios de prevenção do branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo, depois dos prolongamentos dos prazos devido à covid-19. Numa situação normal, estes relatórios já deveriam ter sido enviados pelos bancos, mas o regulador e supervisor bancário anunciou a prorrogação dos prazos em abril, considerando que é de “particular importância” a qualidade da informação financeira e prudencial no atual contexto económico. O Banco de Portugal prolongou ainda, para 12 de junho, o reporte de informação financeira em base individual e o reporte de informação para fins de supervisão aplicável às sociedades financeiras, assim como a informação sobre empresas incluídas no perímetro de consolidação e sobre a evolução da carteira de crédito.

Proprietários tem até hoje para pagar primeira fase ou a totalidade do IMI

Os quase quatro milhões de contribuintes que receberam uma nota de liquidação do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) têm até hoje para efetuar o pagamento da primeira prestação ou da totalidade do imposto.

Portugal “entalado” entre dívida e União Europeia

João Duque refere que ajudas às empresas têm de ser “estritamente para acudir à Covid”, enquanto a CIP defende que “não é com moratórias ou com o aumento do endividamento que se resolve o problema”.
Comentários