PremiumNovas regras internas travam regresso de vice de Santana

Medidas tomadas por Santana Lopes, após suspensão de Carlos Pinto, podem travar o seu regresso à vice-presidência. O líder do recém-formado Aliança quer membros eleitos a apresentar registo criminal e contas em dia com o Fisco e Segurança Social.

As acusações do Ministério Público contra o vice-presidente do Aliança Carlos Pinto geraram incómodo no recém-formado partido de Pedro Santana Lopes. Pinto apresentou a demissão, mas a Comissão Executiva entendeu que a suspensão de funções seria a “solução mais adequada”. O partido ainda não nomeou ninguém para substituir Pinto, deixando a porta aberta a um eventual regresso, que pode vir a ser inviabilizado pelas novas regras internas, que obrigam à apresentação do registo criminal, que no caso de Pinto não está inteiramente limpo.

Ao Jornal Económico, o vice-presidente suspenso não nega a possibilidade de regressar ao partido, apesar de estar a ser investigado pela Justiça. O ex-presidente da Cãmara da Covilhã lembra que que, na Assembleia da República, há deputados que também enfrentam processos judiciais e continuam a exercer as suas funções, pelo que considera que também ele está “apto” para exercer as suas. No entanto, sublinha que conhece o país em que vive, “com gente impiedosa” e “com os chamados ‘imaculados’ não averiguados” e, por isso, optou por apresentar a demissão a Santana Lopes. “Perante o sensacionalismo estabelecido, quis mostrar o desprendimento dos cargos e deixar à vontade quem dirige a Aliança”, afirmou.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumTomás Correia impugna condenação do Banco de Portugal

O atual presidente da Associação Mutualista Montepio Geral entregou no fim de maio no Tribunal de Santarém a ação de impugnação do processo de contraordenação que aplicou uma multa de 1,25 milhões. O Jornal Económico sabe a juíza aceitou a ação de impugnação e, “ao contrário do Ministério Público vai chamar testemunhas”, diz fonte conhecedora do processo.

Premium“Há efetivamente uma necessidade de mudança na Madeira”

Miguel Gouveia acredita que o PS poderá vencer as regionais. O autarca destaca que Cafôfo tem capacidade de diálogo para forjar coligações.

PremiumMagistrados criticam “equívocos” salariais

Tal como os juízes conselheiros, os magistrados do Ministério Público também vão poder ganhar mais do que o primeiro-ministro.
Comentários