Novas regras para a grande Lisboa já entraram em vigor. Incumprimento dá direito a pena de prisão até dois anos

Governo aprova novas regras para tentar travar novos casos de Covid-19 na capital e concelhos da região: Lojas e centros comerciais com ordem de encerramento a partir das 20 horas, proibido beber álcool na rua, ajuntamentos com máximo de 10 pessoas.

Mariscal/EPA via Lusa

A área metropolitana de Lisboa voltou a ter limitações especiais a partir da meia-noite desta terça-feira devido ao aumento do número de casos de infeção por Covid-19.

O Governo aprovou novas regras para a grande Lisboa para tentar mitigar o número de casos:

  • Ajuntamentos na via pública voltam a estar limitados a 10 pessoas (limitação no resto do país é de 20), excepto se pertencerem ao mesmo agregado familiar;
  • Todos os estabelecimentos de comércio a retalho e de prestação de serviços, assim como os que se encontram em centros comerciais, encerram às 20h00;
  • Os restaurantes podem manter-se abertos além das 20h00, exclusivamente para servir refeições no próprio estabelecimento;
  • Os restaurantes com serviço de take away podem manter-se abertos além das 20h00, mas sem servir bebidas alcoólicas;
  •  A obrigação de encerramento às 20 horas não se aplica a salões de cabeleireiro, barbeiros, institutos de beleza, restaurantes e similares, cafetarias, casas de chá e afins, escolas de condução e centros de inspeção técnica de veículos, bem como a ginásios e academias;
  • É proibida a venda de bebidas alcoólicas nas áreas de serviço ou nos postos de abastecimento de combustíveis localizados na grande Lisboa;
  • É proibido o consumo de bebidas alcoólicas em espaços ao ar livre de acesso ao público, com a única exceção a ser esplanadas em estabelecimentos de restauração e bebidas devidamente licenciados;
  • O Governo também decidiu que a atividade operacional da PSP e da GNR, assim como dos serviços de socorro, pode ser reforçada em caso de necessidade por efetivos de outras áreas geográficas.

Quem não cumprir estas regras fica sujeito ao crime de desobediência, estipula a resolução do Conselho de Ministros. Este crime é punido por lei com pena de prisão até um ano ou com pena de multa até 120 dias, ou pena de prisão até dois anos ou multa até 240 dias.

Relacionadas

Fernando Medina sem expectativa de ver adeptos nos jogos da Liga dos Campeões

O presidente da Câmara Municial de Lisboa, Fernando Medida, disse que não espera ver adeptos nos estádios de futebol onde se vão jogar os jogos da Liga dos Campeões e atribuiu a falta de controlo das cadeias de transmissão na área metropolitana de Lisboa para explicar o aumento de novos casos próximos da capital do país.

António Costa rejeita cerca sanitária para a grande Lisboa

Depois do autarca de Ovar ter defendido que devia ser aplicada uma cerca sanitária à grande Lisboa, o primeiro-ministro rejeitou essa possibilidade defendendo a eficácia das medidas que o Governo vai aprovar para vigorarem a partir da meia noite de terça-feira.

Governo vai manter estado de calamidade em 15 freguesias de concelhos de Lisboa

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou ainda um pacote de novas medidas, onde consta a limitação de ajuntamentos e o fecho antecipado de cafés e bares, que entram em vigor a partir das 00h00 de amanhã.
Recomendadas

EUA: adiamento da votação do Congresso dá esperança à aprovação de novo pacote de estímulos

Depois de meses de impasse, a Câmara dos Representantes, de maioria democrata, decidiu não votar um pacote que estava condenado ao fracasso quando subisse ao Senado, de maioria republicana. O adiamento é visto como um sinal de avanços nas negociações entre Nancy Pelosi e Steve Mnuchin, ou seja, entre os democratas do Congresso e a Casa Branca.

Portugal está a meio da tabela do custo mensal de ter carro. Elétricos nunca foram tão baratos na Europa

O ‘ranking’ anual LeasePlan coloca Portugal em 10º lugar na despesa mensal de propriedade de um veículo, com um valor de 651 euros para carros a gasolina, 672 euros gasóleo e 686 euros elétricos nos segmentos utilitário e pequeno utilitário.

3.800 euros: Genebra vai pagar o salário mínimo mais elevado do mundo

Os 500 mil eleitores da cidade suíça aprovaram o salário mínimo proposto pelos sindicatos locais e partidos de esquerda, depois de já terem sido rejeitados duas vezes em 2011 e 2014. Medida entra em vigor a partir de 17 de outubro.
Comentários