Novo aeroporto do Montijo será solução só para seis anos, e não 40, diz professor do Técnico

O alerta é o professor do Instituto Superior Técnico, Mário Lopes, que fala em “falta de transparência” por parte da ANA – Aeroportos de Portugal e sustenta que “não há estudos públicos e escrutináveis que sustentem a opção pelo Montijo”.

A construção do novo aeroporto no Montijo para dar resposta à saturação das operações no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, pode ser solução para durar apenas entre seis a oito anos e não quarenta como tem sido avançado, segundo Mário Lopes, professor do Instituto Superior Técnico.

Os dados avançados pelo presidente da ANA – Aeroportos de Portugal, Jorge Ponce de Leão, “não batem certo” e o processo está envolvido numa “grande falta de transparência”, disse Mário Lopes, citado pelo Dinheiro Vivo, durante a I Convenção Nacional dos Serviços de Transporte, promovida pelo Fórum dos Serviços,

O professor do Técnico defendeu que se o tráfego aéreo do Aeroporto de Lisboa continuar a crescer ao ritmo cima dos 10%, como se tem vindo a verificar, o mais provável é que a opção de reforço no Montijo não chegue sequer a durar um quarto do tempo que Jorge Ponce de Leão tem vindo a referir.

“Se a procura continuar a crescer assim, com o aumento do número de movimentos, dá para seis anos. E se o número de passageiros aumentar 123% para 50 milhões ao ano, como refere o presidente da ANA, dá para oito anos”, explicou.

O professor universitário alerta que “além da falta de transparência do processo, os números não batem certo” e “não há estudos públicos e escrutináveis que sustentem a opção pelo Montijo”.

Para Mário Lopes, a melhor solução para garantir o bom funcionamento das operações passaria por construir um novo aeroporto, uma vez que todo o dinheiro gasto até agora em remodelações na Portela “é essencialmente um desperdício de recursos” e os problemas voltarão a surgir a longo prazo.

Ler mais
Recomendadas

PremiumOrçamento ignora mercados de capitais, alertam empresas e investidores

Governo prometeu pôr poupanças dos portugueses ao serviço da economia nacional, mas acabou por não incluir nenhuma medida de apoio ao mercado de capitais na proposta entregue ao Parlamento.

PremiumRoger Tamraz desiste do EuroBic se não ficar maioritário

Acordo com Isabel dos Santos pode cair se investidor libanês não chegar a acordo com outros acionistas do EuroBic.

PremiumIsabel dos Santos contrata Marco António Costa

Ex-secretário de Estado é o advogado que representa a empresária angolana no processo de venda da sua posição no EuroBic a empresário libanês. Advogado tem mantido contactos com o supervisor.
Comentários