Novo Banco: Costa critica partidos que aprovam “medidas que podem ameaçar a credibilidade internacional” do país

“Quero agradecer a todos aqueles que não desertaram”, disse hoje o primeiro-ministro elogiando o PAN, PCP, PEV, Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues por se terem abstido na votação do OE 2021.

António Costa | Cristina Bernardo

O primeiro-ministro deixou hoje um elogio aos partidos que se abstiveram na votação final global do Orçamento do Estado para 2021.

“Quero agradecer a todos aqueles que não desertaram perante as dificuldades da crise e se empenharam em prosseguir o diálogo com o Governo neste processo de apreciação na especialidade”, disse hoje António Costa após a aprovação do OE 2021 no Parlamento.

“Quero saudar o PCP, o PEV, o PAN, as duas deputadas não inscritas, que colaboraram ativamente com o PS”, afirmou.

Costa também lamentou que “partidos tenham desertado ou não tenham resistido à tentação populista de aprovar medidas que podem ameaçar a credibilidade internacional”. A medida que trava a transferência de 476 milhões para o Novo Banco foi aprovada pelo PSD, BE, PCP, PEV e Joacine Katar Moreira, com a abstenção do CDS e PAN e os votos contra do PS, IL, Chega e Cristina Rodrigues.

O primeiro-ministro também deixou uma “palavra de confiança”: “Tudo faremos para que aqueles que quiseram brincar com o fogo não queimem o país. Tudo faremos para que não só a legalidade que a nossa Constituição impõe que a lei do enquadramento orçamental impõe do Orçamento inscrever todas as obrigações contratuais do Estado português, assegurar também que em caso algum a nossa credibilidade internacional será posta em causa. A luta continua”.

O OE 2021 foi aprovado com os votos a favor do PS e as abstenções do PAN, PCP, PEV, Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues, e os votos contra dos partidos à direita mais o Bloco de Esquerda.

Ler mais

Relacionadas

Costa diz que Orçamento reforça o SNS, o apoio às famílias e às empresas

O primeiro-ministro reagiu hoje à aprovação do Orçamento do Estado para 2021 pelo Parlamento.

Orçamento do Estado para 2021 aprovado em votação final. Só PS votou a favor

Depois de quatro dias em debate e votações na especialidade, o Orçamento do Estado para 2021 foi aprovado em votação final esta quinta-feira, 26 de novembro, com o Bloco de Esquerda, CDS-PP e PSD a votarem contra. Abstenções do PEV, PAN e PCP.
Recomendadas

Académicos minimizam papel da economia na decisão sobre fecho das escolas

“Eu preferia não dar ‘munições’ económicas para esse debate”, disse o professor da Universidade Católica de Lisboa João Borges de Assunção à Lusa, considerando que “o problema do encerramento das escolas é o problema na consequência da educação das crianças e dos jovens”.

Sindicatos da TAP foram avisados de que BE ia propor auditoria à gestão de Neeleman

A auditoria proposta pelo Bloco de Esquerda não será viabilizada no Parlamento. O projeto de resolução entregue pelo BE a recomendar ao Governo uma auditoria à gestão privada da TAP, não chegará a qualquer conclusão no sentido de saber quais são as efetivas responsabilidades do empresário David Neeleman na gestão da TAP e na situação financeira em que a companhia aérea se encontra.

Sines regista aumento de 13% na carga de contentores em 2020

2020 foi o “terceiro melhor resultado de sempre em termos de movimentação de contentores” em Sines, diz a administração portuária local, esclarecendo que “na carga contentorizada importa destacar o aumento do volume relacionado com o hinterland, que representa já mais de 442 mil TEU”.
Comentários