Novo Banco já recebeu parecer independente sobre venda de imóveis

António Ramalho recebeu esta terça-feira o parecer independente às vendas dos projetos “Sertorius” e “Viriato” face às regras do mercado internacional. CEO do Novo Banco comprometeu-se a entregar o sumário executivo aos deputados, tendo já entregue a versão completa ao Fundo de Resolução.

Rafael Marchante/Reuters

O Novo Banco recebeu esta terça-feira o parecer independente para avaliar as vendas dos projetos “Sertorius” e “Viriato” face às regras do mercado internacional. O anúncio foi feito por António Ramalho, presidente da instituição bancária, durante a audição na Comissão de Orçamento e Finanças (COF), no Parlamento, adiantando que irá entregar um resumo aos parlamentares.

“Pedimos uma análise de uma avaliação independente, que entregarei aqui em sumário executivo porque ela só chegou hoje e foi entregue ao Fundo de Resolução completa”, disse António Ramalho.

O CEO do Novo Banco frisou aos deputados que o parecer foi feito “por uma analista independente, Alvarez & Marsal, que anunciei na devida altura, e que no fundo também avalia a eficiência ou não eficiência do modelo”.

“Vou entregar na Assembleia da República, ainda que em resumo, o parecer nos vem dizer aquilo que já tinha sido dito pela Alantra, a dizer que as vendas foram feitas acima do preço do mercado. A dizer que foram vendas de grande qualidade”, vincou posteriormente, em resposta à deputada Cecília Meireles.

Tal como o Jornal Económico tinha noticiado, o parecer independente que o Novo Banco pediu para avaliar a venda das duas carteiras de imóveis não ficou a cargo de nenhuma das auditoras incluídas no chamado grupo das big four (Deloitte, KPMG, EY e PwC).

A venda das duas carteiras de imóveis têm levantado polémica nos últimos meses, levando mesmo o primeiro-ministro a pedir à Procuradoria-Geral da República a pedir a avaliação da documentação. A análise ocorreu depois da instituição liderada por António Ramalho ter enviado a 27 de julho para a PGR documentação relativa à venda de carteiras de ativos imobiliários. Tal como avançado pelo Jornal Económico, foram entregues um “conjunto de informação exaustiva” sobre a venda de duas carteiras de ativos imobiliários, denominados por projeto “Viriato” e projeto “Sertorius”.

O Ministério Público concluiu posteriormente “inexistir prova bastante suscetível de suportar a conclusão de que futuras e eventuais alienações de ativos imobiliários – se efetuadas nos termos e moldes das anteriores – são suscetíveis de causar ao Estado um dano grave e de difícil reparação”, entendendo a PGR que “não há razão fundada para o Ministério Público recorrer à tutela jurisdicional e, consequentemente, proceder à interposição de uma qualquer providência cível visando a proteção dos interesses patrimoniais do Estado Português”.

(Atualizado às 17h21)

Recomendadas
João Paulo Correia

Novo Banco: PS acusa PSD de querer ganhar na secretaria o que não ganhou com inquérito

“O Partido Socialista esperava da parte do PSD uma posição mais responsável e mais construtiva nesta fase do inquérito. O PSD sente-se tentado a ganhar na secretaria aquilo que não foram os ganhos que espera ter durante os trabalhos do inquérito”, afirmou o deputado socialista João Paulo Correia.

Banco de Portugal divulga primeiro Relatório de Sustentabilidade

Destacam-se, pela sua relevância no contexto da crise pandémica, as ações de comunicação sobre as moratórias e sobre os serviços de pagamento eletrónicos, bem como o protocolo assinado com o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social para a promoção dos serviços mínimos bancários”, diz o BdP.

BCE autoriza bancos a distribuírem livremente dividendos a partir de outubro

A recomendação sobre dividendos permanece aplicável até 30 de setembro de 2021, ou seja, as próximas decisões de pagamento de dividendos devem ocorrer no quarto trimestre de 2021, diz o BCE que liberta assim os bancos para distribuírem dividendos aos seus acionistas a partir de outubro.
Comentários