Novo Banco reduz preço da Herdade de Vale Feitoso para 32,7 milhões

A notícia está a ser avançada pela SIC Notícias. O Novo Banco reduziu o preço de venda de um dos ativos que herdou do BES, para conseguir vender. Trata-se da insolvente Herdade de Vale Feitoso que era do GES. O banco baixou o preço de venda de 36,4 milhões para 32,7 milhões.

Cristina Bernardo

A notícia está a ser avançada pela SIC Notícias. O Novo Banco reduziu o preço de venda de um dos ativos que herdou do BES, para conseguir vender. Trata-se da Herdade de Vale Feitoso. O banco baixou o preço de venda de 36,4 milhões para 32,7 milhões.

O produto da venda fica arrestado à ordem do processo-crime que tem como juíz Carlos Alexandre.

O primeira data de abertura de propostas de compra foi fixada em novembro de 2018, mas ficou sem efeito devido à greve dos funcionários judiciais, avança a SIC.

Depois foi fixada outra data pelo Tribunal, mas a única proposta que havia acabou por não avançar em dezembro, “por o candidato se ter apercebido que era o único interessado e por isso terá preferido esperar pela descida do preço”, segundo a SIC que cita o juízo do Tribunal do Comércio do Fundão.

Em janeiro deste ano (dia 15) Novo Banco requereu uma nova diligência de venda da Herdade já com o preço mais baixo.

Os trabalhadores da companhia agrícola Penha Garcia que tem a Herdade estão preocupados com a falta de compradores da propriedade  insolvente, porque têm ali os seus postos de trabalho.

O Novo Banco executou uma das hipotecas da Herdade que foi do Grupo Espírito Santo e em fevereiro de 2017 o Tribunal do Comércio do Fundão declarou a insolvência da companhia agrícola.

O administrador judicial da Herdade é Jorge Calvete.

Vão ser fixados novos prazos para a abertura de propostas. Mas os trâmites legais a serem cumpridos fazem com que o processo não seja reaberto antes terem decorridos pelo menos 30 dias.

A propriedade tem 7.500 hectares, abrange floresta, terrenos agrícolas, cabeças de gado e 3.000 espécies selvagens.

São 327 km2 de uma propriedade na Beira Baixa que o GES comprou aos Condes da Ponte em 2004, por 27,5 milhões de euros.

 

Ler mais
Recomendadas

PremiumBCP lidera em volume de ativos por impostos diferidos protegidos pelo Estado

Perduram no balanço dos bancos 3,8 mil milhões de euros de ativos por impostos diferidos elegíveis para capital por serem protegidos pelo Estado ao abrigo do regime especial. O BCP tem 2 mil milhões.

Caixa Geral de Depósitos espera propostas vinculativas por banco no Brasil no quarto trimestre

Esta quinta-feira, o Governo aprovou em Conselho de Ministros uma resolução que seleciona os potenciais investidores que serão convidados a apresentar proposta vinculativa pela instituição brasileira, detida pela Caixa.

PremiumFundo de Resolução terá de ceder ao Estado parte dos 25% que detém no Novo Banco

Venda do Novo Banco à Lone Star estipula que entrada do Estado no capital por força do regime especial dos DTA só dilui o Fundo de Resolução.
Comentários