Novo Banco tem 3.830 imóveis para vender por menos 430 milhões de euros que o seu valor bruto

Tratam-se de imóveis que o banco recebeu de clientes que não conseguiram reembolsar os seus créditos. O presidente executivo do Novo Banco, António Ramalho, considera que todos se destinam à venda.

O Novo Banco tem 3.830 imóveis para vender, por menos 430 milhões de euros que o seu valor bruto, avança uma notícia do Expresso. “Este conjunto de imóveis está registado por um valor bruto em torno de mil milhões, mas o banco já foi reconhecendo antecipadamente perdas, por via de imparidades, para 430 milhões. O justo valor destes ativos está em torno de 550 milhões”, refere o semanário.

Tratam-se de imóveis que o banco recebeu de clientes que não conseguiram reembolsar os seus créditos e todos destinam-se à venda. A Procuradoria-Geral da República está a avaliar o pedido do Primeiro-Ministro, que pretende impedir que haja alienações de carteiras até que sejam esclarecidos os contornos das vendas de pacotes de imóveis que aconteceram durante os últimos dois anos, e que causaram perdas diretas de 388 milhões de euros.

O banco tinha estes imóveis registados como disponíveis para alienação no fim do ano, sendo a maioria edifícios construídos para habitação, mas havendo também uma parcela relevante de terrenos.

 

Recomendadas

“Mobilidade elétrica tem um argumento de força: a urgência da descarbonização”, defendem especialistas na “Portugal Smart Cities Summit 2020”

Uma das provas da relevância da mobilidade elétrica está refletida nos números das vendas de automóveis elétricos: “2,3 milhões de vendas até ao final deste ano” deste tipo de veículo, segundo Ryan Fisher da BloombergNEF.

“Eletrificação nos transportes é determinante”, garante secretário de Estado da Mobilidade

Eduardo Pinheiro sublinhou os apoios que têm sido fornecidos para a aquisição de automóveis elétricos, bem como o reforço de 50 milhões de euros na frota da Soflusa. Posição foi conhecida no segundo dia da “Portugal Smart Cities Summit 2020”, evento que conta com o “Jornal Económico” como media partner.

Verbas do SURE ficam disponíveis a partir de outubro, diz Costa

O primeiro-ministro adiantou que as verbas do instrumento da Comissão Europeia para apoiar empregos ficará disponível “a partir do próximo mês”. Programa garante 5,9 mil milhões de euros de Bruxelas de financiamento para Portugal, o montante proposto pelo ministério das Finanças.
Comentários