“Nunca se viu isto”. Dois camionistas detidos por desobediência em Aveiras, revela líder sindical

Camionistas terão sido detidos por desobediência pela GNR e conduzidos à sede da empresa para a qual trabalham, em Aveiras.

Dois camionistas terão sido detidos pela GNR por crime de desobediência esta quarta-feira, de acordo com informação prestada por Pedro Pardal Henriques, vice-presidente do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP).

Pardal Henriques denunciou que a GNR deteve dois camionistas nas suas residências por desobediência, sendo que estes trabalhadores terão sido levados para a sede da empresa para a qual trabalham em Aveiras, de forma a assumirem as ordens de trabalho.

“GNR tem ordens para deter as pessoas para serem dirigidas às empresas para obrigá-las a trabalhar”, realçou o advogado e dirigente sindical. Caso se recusem, adiantou Pardal Henriques, estes camionistas serão dirigidos para a esquadra.

“Nunca se viu isto, com o uso desta força e desta autoridade”, dizia o dirigente sindical, parafraseando as palavras de alguns camionistas que reagiram a esta situação.

“Se é para ir um motorista preso, vamos todos presos”

Sobre a posição assumida esta manhã, de que os motoristas não iriam cumprir serviços mínimos nem a requisição civil, Pardal Henriques fez questão de mencionar ao início da tarde que a posição partiu dos próprios motoristas que ficaram indignados com a posição do Governo em sancionar os motoristas que não cumpriram a requisição civil. “Se é para ir um motorista preso, vamos todos presos”, realçou o advogado e dirigente sindical.

 

Ler mais
Relacionadas

Governo disponível para acolher eventual reunião entre sindicatos e Antram

“Se as partes (sindicatos e Antram) quiserem reunir, a DGERT está naturalmente disponível, em qualquer ocasião, como aliás sempre esteve”, adiantou fonte oficial do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social à Lusa.

Requisição civil pode ser insuficiente. 16% dos postos de abastecimento estão sem combustível

Requisição civil do Governo decorre a ‘meio gás’. Cerca de 489 das bombas estão ‘secas’. De acordo com o site ‘Já Não Dá Para Abastecer’, 593 continuam sem gasolina, 833 não têm gasóleo e 71 estão sem GPL.

Fectrans reúne com Antram. Por que é que a estrutura sindical não se juntou à greve?

A Fectrans, filiada na CGTP, não aderiu à greve dos motoristas de mercadorias e matérias perigosas e, esta quarta-feira, vai retomar negociações com a entidade patronal Antram.

Requisição civil no transporte para aeroporto de Faro não foi cumprido

O ministro do ambiente, Matos Fernandes, anunciou, esta quarta-feira, que foi registado um “caso de incumprimento da requisição civil que é o transporte de Loulé para o Aeroporto e Faro”. Sobre os serviços mínimos generalizados diz que a avaliação será feita no final do dia.
Recomendadas

Oficial: Governo decreta fim da crise energética a partir da meia-noite

António Costa fala numa “vitória da democracia e da legalidade democrática” e que Portugal soube mostrar uma “grande maturidade”. Primeiro-ministro revela que a reposição da total normalidade dos combustíveis demorará dois a três dias.

Motoristas de matérias perigosas desconvocam greve ao sétimo dia mas deixam ameaças 

O sindicato admite nova paralisação a horas extraordinárias, fins de semana e feriados caso a associação patronal se mostrar “intransigente” na reunião de amanhã.

Brexit sem acordo levará a escassez de combustível, comida e fármacos

O documento divulgado pelo “Sunday Times” estima também que até 85% dos camiões que atravessam o Canal da Mancha “podem não estar preparados” para as formalidades das alfândegas francesas, o que provocaria longas filas que podem prolongar-se por dias.
Comentários