Nuno Ferreira Pires, CEO da Sport TV: “Se os conteúdos estiveram dispersos custará mais dinheiro”

À margem do evento “Building The Future”, o gestor falou ao Jornal Económico sobre tecnologia, concorrência e o futuro da Sport TV.

Nuno Ferreira Pires, presidente executivo da Sport TV

Nuno Ferreira Pires, CEO da Sport TV, foi um dos gestores presentes no evento “Building The Future”, o maior evento de transformação digital em Portugal, promovido pela Microsoft, e que decorre esta manhã no pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa. Em declarações ao Jornal Económico explicou que está muito “otimista” em relação às novas tecnologias. “O diagnóstico do passado é importante. Mas acima de tudo temos de nos focar naquilo que a tecnologia nos trouxe”; explicou. Para ilustrar, o responsável falou do lançamento do hub digital. “É uma app que ganhou o prémio da melhor app desportiva em Portugal e, em menos de quatro meses, conseguimos ter 250 mil portugueses a aderir. A forma como o utilizador pode interagir com a nova aplicação é muito semelhante ao de uma rede social. E damos a possibilidade aos utilizadores registados, que não têm de ser subscritores do canal premium, em poder ver alguns dos conteúdos em aberto, como uma segunda liga de futebol”.

O gestor disse ainda que como um player ativo da sociedade, a pirataria de conteúdos o preocupa como cidadão. “A tecnologia traz uma outra palavra fundamental: responsabilidade”, sublinha. Em relação à presença da concorrente Eleven Sports no mercado português, o CEO considera que não sabe “como vão conseguir encontrar um negócio de longo prazo e sustentável em Portugal”. ” Os conteúdos da sua plataforma, sendo que o mais valioso é a champions league,  tem um acordo com a TVI para ser transmitido em sinal aberto a partir dos oitavos de final. Já para não dizer que as equipas portuguesas tiveram uma classificação muito abaixo das expetativas dos clientes”, acrescenta.

“A Sport TV tentará manter a grandiosidade dos seus conteúdos. É muito mais interessante para um consumidor do que ter os conteúdos dispersos por vários players. Se estiverem dispersos custará mais dinheiro”, conclui Nuno Ferreira Pires ao Jornal Económico.

O “Building The Future”, que irá decorrer entre hoje e amanhã, cruza tecnologia, transformação e liderança para potenciar pessoas e empresas e preparar o país para a transformação digital.

Recomendadas

PremiumISQ vai investir mais de um milhão de euros no fabrico aditivo (3D)

Pedro Matias, presidente da empresa, anuncia que vai ser criado um Laboratório de Manufatura Aditiva, que será único em Portugal.

Salas de cinema registam quebras na ordem dos 96% em julho

Segundo os dados do Instituto do Cinema e do Audiovisual, as salas de cinema nacionais receberam no último mês cerca de 78 mil espectadores, o que traduz uma quebra de 95,6% comparativamente à audiência em 2019,

PremiumRisco de continuidade do negócio é o mais relevante para as empresas

Um estudo da MDS revela que a possibilidade de recuperação em ‘V’ é, do lado das empresas, uma miragem: um a três anos é o tempo mínimo esperado de regresso à atividade pré-pandemia.
Comentários