PremiumO novo arsenal da Netflix para fechar ano em força

Há qualquer coisa na história dos primeiros anos da Netflix que nos desconcerta.

Há qualquer coisa na história dos primeiros anos da Netflix que nos desconcerta. Como é que uma empresa que, nos idos de 1997, se lançou no negócio do aluguer e envio de DVD por correio se transformou no maior gigante do streaming mundial, com uma capitalização de mercado superior a 261 mil milhões de dólares (ou seja, bastante mais do que todo o PIB português em 2020)?

A verdade é que, tal como o atual negócio da Netflix, a ideia inicial de alugar e enviar DVD foi um enorme sucesso. Em dez anos, de 1997 a 2007, a Netflix enviou mais de mil milhões de DVD nos Estados Unidos, angariando mais de 6,3 milhões de subscritores. Ainda hoje, mais de dois milhões de americanos recebem em casa DVD e Blu-Ray da Netflix pelo correio, um ritual que nos parece algo cómico face à forma como a Netflix evoluiu e à forma como a consumimos, com um comando na mão e menus atrás de menus cheios de escolhas.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Presidente demissionário da CP explica decisão no Parlamento. Veja em direto

A pedido do PSD, Nuno Freitas é ouvido esta quarta-feira na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação a pedido do PSD, para falar da sua saída e do futuro da empresa.

Operação “Cifras Negras”: PJ desmantela rede criminosa que branqueou sete milhões de euros em bancos nacionais

Quatro pessoas foram detidas por associação criminosa e branqueamento de capitais, revelou hoje a Polícia Judiciária (PJ), dando conta que grupo organizado, de cariz transnacional, utilizava o território nacional através de abertura de contas em vários bancos portugueses para fazer circular capitais através de empresas de fachada que constituía para o efeito.

Eurodeputados querem que União Europeia aumente o apoio para a comunicação social (com áudio)

Parlamento Europeu quer um fundo permanente para os meios de comunicação da União Europeia, com o objectivo de salvaguardar a independência financeira e política dos jornalistas e do jornalismo europeu.
Comentários