PremiumO paradoxo dos países que ficam mais ricos

A agricultura tem desafio de captar e reter trabalhadores, mas também de os proteger.

A agricultura continua a o maior empregador, em termos globais, ocupando quase 900 milhões de pessoas, ou seja, mais de um quarto da população empregada no mundo. Só que, segundo o professor e investigador da Universidade da Califórnia Philip Martin, o sector sofre do que denomina como “paradoxo da prosperidade”, o que quer dizer que a percentagem de emprego na agricultura desce à medida que o rendimento per capita de um país aumenta

Além disso, cada vez mais trabalhadores são empregados em cada vez menos grandes unidades, a que acresce um outro problema, que é o facto de, nos países mais ricos, a mão-de-obra ser constituída por trabalhadores locais mais vulneráveis, que não conseguem encontrar empregos não agrícolas, e por trabalhadores imigrantes. “É um emprego, não é uma carreira”, diz.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

CAP quer trabalhadores testados e autorizados a regressar às explorações em Odemira

“É imprescindível que seja instituído um mecanismo fiável de testagens que permita a circulação de proprietários e de trabalhadores para efeito de acesso às produções agrícolas, mediante apresentação de comprovativo de teste negativo para a covid-19”, afirmou o presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal, Eduardo Oliveira.

Governo apresenta apoios extraordinários para sector do vinho na sexta feira

O Governo vai apresentar, na sexta-feira, um pacote extraordinário de apoios para o sector do vinho, face ao impacto da pandemia de Covid-19, estando a avaliar a possibilidade de um aviso para a destilação de crise.

Instituto do Vinho do Porto autoriza uso da marca ‘Portonic’

O uso da marca depende de prévia autorização pelo IVDP, designadamente da rotulagem da embalagem e da aprovação da bebida, adianta um comunicado desta entidade, sendo que essa bebida pode ser apresentada em garrafa, lata ou outros tipos de embalagem, com diferentes capacidades, a aprovar pelo IVDP.
Comentários