O preço da violência: impacto global é de 12,6% do PIB mundial

Impacto económico global da violência corresponde a 1,95 dólares por pessoa. Custo económico médio 35% superior nos dez países menos pacíficos face aos dez países mais pacíficos.

Omar Sanadiki/REUTERS

A violência teve um impacto económico global de 14,3 biliões de dólares em 2016, equivalente a 12,6% do PIB mundial ou 1,95 dólares por pessoa, segundo o Global Peace Index 2017 do Institute for Economics&Peace.

Os gastos militares representam a maior fatia dos custos (5,62 biliões de dólares), seguido pelos gastos com a segurança interna cujos custos globais ascendem aos 4,92 biliões de dólares. Já as perdas com crimes representa 2,57 biliões de dólares e as perdas com conflitos armados, 1,04 biliões de dólares.

O custo económico médio da violência foi equivalente a 37% do PIB nos dez países menos pacíficos face a apenas 3% nos dez países mais pacíficos.

Ainda assim, o impacto económico da violência caiu em 2016 pela primeira vez desde 2011 – data do início da guerra síria e dos avanços do ISIS no Iraque.

Síria, Iraque e Afeganistão são os países que têm o maior custo económico com a violência, cujos gastos representam 67%, 58% e 52% do PIB, respetivamente.

O estudo calcula o impacto económico global da violência considerando a despesa e o efeito económico de “conter, prevenir e lidar com as consequências da violência”. As estimativas incluem o custo direto e indireto da violência, bem como um multiplicador económico, em que o efeito multiplicador calcula a atividade económica adicional que se teria acumulado se os custos diretos da violência tivessem sido evitados.

Não são considerados dados sobre violência doméstica ou maus tratos infantis, crimes financeiros ou despesas do sistema judicial.

Ler mais
Relacionadas

Portugal sobe dois lugares e é o terceiro país mais pacífico do Mundo

Portugal está no top 3 dos países mais pacíficos do Mundo. A liderar o ranking está a Islândia, que ocupa a primeira posição desde 2008, seguida pela Nova Zelândia.
Recomendadas

Primeiro-ministro eslovaco internado com infeção respiratória

Peter Pellegrini foi hospitalizado este domingo à noite com uma infeção respiratória, acompanhada de febre, tendo sido obrigado a cancelar a sua agenda numa semana de eleições parlamentares no país.

“As pessoas têm medo, até de um simples aperto de mão”. Portuguesa em Itália conta como se lida com o coronavírus

“Na zona de Milão, os supermercados estão completamente vazios e não se encontra máscaras de proteção facial em lado nenhum”, relata ao JE uma jornalista portuguesa que reside na zona da Toscana, perto de Bolonha, região onde, para já, tudo está tranquilo no que diz respeito a casos de coronavírus.

Covid-19: Irão “nega categoricamente” notícias sobre 50 mortes

“Nego categoricamente essa informação” disse à imprensa o vice-ministro da Saúde, Iraj Harirtchi, sobre a informação avançada pelo deputado Ahmad Amirabadi Farahani, que acusou o governo de Teerão de “mentir ao povo”.
Comentários