O que é o sobre-endividamento das famílias e como o calcular

Considera-se que existe um elevado nível de endividamento, quando os rendimentos possibilitem apenas o pagamento das despesas mensais, não permitindo que fique algum dinheiro até ao final do mês.

Quando as despesas superam os ganhos e a família já não consegue assumir todos os seus compromissos, surge a pergunta: Estamos em situação de sobre-endividamento? O sobre-endividamento é uma situação em que os rendimentos mensais de um agregado familiar são insuficientes para fazer face às suas despesas mensais.

As despesas mensais são compostas pelas despesas indispensáveis (alimentação, água, luz, eletricidade) e pelas despesas com prestações de crédito.

Considera-se que existe um elevado nível de endividamento, quando os rendimentos possibilitem apenas o pagamento das despesas mensais, não permitindo que fique algum dinheiro até ao final do mês. Nesta situação, considera-se que estamos perante uma taxa de esforço muito elevada.

O que é a taxa de esforço?

A taxa de esforço permite-nos compreender qual o peso das prestações mensais de crédito (crédito à habitação, automóvel, pessoal ou cartão de crédito) no nosso rendimento.

Como podemos calcular a taxa de esforço?

Basta calcular o valor total das prestações de crédito e dividi-lo pelo total dos rendimentos do agregado familiar. O valor resultante deverá ser multiplicado por 100, o que permite encontrar o valor da taxa de esforço em termos percentuais.

Como podemos saber se a taxa de esforço é elevada?

Uma taxa de esforço superior a 35% apresenta-se como elevada, uma vez que não permite precaver uma situação de diminuição de rendimentos, como por exemplo, os casos de desemprego ou cortes salariais. Se a vossa taxa de esforço for elevada (superior a 35%), é urgente que se tomem algumas medidas, devendo começar por reorganizar o orçamento mensal.

Saiba tudo aqui.

Ler mais
Relacionadas

Novo crédito ao consumo dispara para valor mais alto em 14 anos

De acordo com os dados disponíveis na página do BdP, em agosto os bancos concederam empréstimos ao consumo no valor de 404 milhões de euros, o valor mais alto para este mês desde 2003 (limite inferior da série).

Como gere as suas finanças pessoais? Esta é a melhor forma de planear o orçamento familiar

É comum ouvirmos falar em gestão de finanças pessoais e no orçamento familiar. Contudo, e face às dificuldades que todas as famílias atravessam, como podemos estabelecer um orçamento familiar e poupar?
Recomendadas

Nações Unidas alertam para aumento da fome mundial. Saiba como contrariar o flagelo

No Dia Mundial da Alimentação, a campanha “Fome Zero” lança várias ideias para a combater a fome mundial, numa altura em que 820 milhões de pessoas sofrem de desnutrição crónica, de acordo com as Nações Unidas.

OE2019: Governo vai cobrar mais 640 milhões de euros em impostos

O Governo estima arrecadar 45.635 milhões de euros com impostos em 2019, mais 640 milhões do que estima para 2018, devido a aumentos de receita nos impostos indirectos que garantirão mais 377 milhões de euros aos cofres estatais. A receita prevista com IRS e IRC tem um menor crescimento. E o IVA vai assegurar mais 723 milhões de euros de receita.

Já tenho 48 anos. É tarde para mudar de emprego?

É inevitável a mudança dos profissionais que quiserem continuar a estar ativos, afirma Lourdes Monteiro, co-autora de Quero, Posso e Mudo de Carreira, ao Jornal Económico. Recomendação: não coloquem idade nem fotografia no currículo, na hora de se candidatarem a um novo emprego.
Comentários