Premium“O regime fiscal da poupança devia melhorar”

A mais antiga sociedade gestora portuguesa de fundos de pensões, a SGF, foi comprada pela Golden. O presidente, António Nunes da Silva fala do novo posicionamento estratégico.

A Golden Wealth Management (GWM) comprou a SGF – Sociedade Gestora de Fundos de Pensões (SGF). Qual a finalidade desta aquisição?
A GWM adquiriu a maioria do capital social da SGF no início deste ano, consolidando uma relação desenvolvida desde 2016. A principal finalidade consiste em alargar a oferta da GWM em produtos que nos parecem fundamentais para uma adequada gestão dos patrimónios na perspetiva da poupança.

O que vai ser a SGF depois desta aquisição, em termos de novo reposicionamento?
Queremos que a SGF seja percebida como uma entidade profissional altamente especializada em poupança, com uma gestão independente e isenta de conflitos de interesses. A SGF ambiciona tornar-se numa referência em soluções de poupança e investimento, adaptadas a todas as necessidades e tipos de clientes. Por isso, procedemos a um rejuvenescimento da imagem da SGF e a uma reformulação do portefólio do seus produtos, sob o novo lema “De poupança sabemos nós”, e, em simultâneo, simplificámos o acesso a estes produtos, através de vários canais disponíveis: pelo online, no site da SGF, pelo contacto telefónico, com uma linha dedicada, ou pelo contacto presencial com algum dos gestores comerciais presentes em todo o território nacional.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Novo crédito à habitação em setembro soma 915 milhões de euros, diz Banco de Portugal

Em setembro os volumes de novas operações para habitação, consumo e outros fins totalizaram 915, 462 e 284 milhões de euros, respetivamente, avança ao Banco de Portugal.
Martin Revolut

Revolut: conselheiro de Nik Storonsky nomeado ‘chairman’ não-executivo

Martin Gilbert, era informalmente o conselheiro do CEO da Revolut, Nikolay Storonsky, funções que continuará a desempenhar até ao dia 1 de janeiro. A nomeação de Martin Gilbert para chairman não-executivo surge numa altura em que a Revolut se prepara para se tornar num verdadeiro banco digital.

Aon reforça área de M&A com entrada de Marcos Oliveira e Bruno da Silva

Novos membros da equipa jurídica foram recrutadas na Allianz Portugal e na Willis Towers Watson.
Comentários