OE2019 aprovado na generalidade no Parlamento

Sociais-democratas e centristas chumbaram proposta orçamental do Governo PS para 2019.

O Orçamento do Estado para 2019 foi esta tarde aprovado no Parlamento com os votos a favor de PS, PCP, BE, PEV e PAN e com os votos contra do PSD e do CDS-PP.

Os grupos parlamentares da direita, PSD e CDS, votaram contra, após dois dias de debate na Assembleia da República, em Lisboa.

Foram igualmente aprovadas as Grandes Opções do Plano para 2019.

Após a aprovação na generalidade, segue-se agora o debate e votação na especialidade, período que se prolonga até 29 de novembro, com votação final global.

Relacionadas

Bloco de Esquerda irá apresentar na especialidade proposta de complemento de pensão

Catarina Martins garantiu que o partido poderá pedir a apreciação parlamentar dos decretos-lei que estão a ser negociados à margem do acordado com os partidos.

Jerónimo de Sousa reclama louros sobre aumento das pensões

Secretário-geral do PCP garantiu no debate de votação na generalidade do OE2019 que o partido intervirá “na especialidade para que se ultrapasse o limite de algumas propostas”.

Tauromaquia: CDS acusa Governo de “ditadura do gosto”, executivo fala em “questão de civilização”

A redução do IVA nos espectáculos suscitou o tema da tauromaquia. CDS acusa o Governo de proceder a uma “ditadura de gosto” mas a ministra respondeu.
Recomendadas

Museus e monumentos nacionais perderam 68,7% de visitantes no primeiro semestre

A descida, segundo a DGPC, revela a dimensão do impacto da pandemia de covid-19 no país, já que, entre 01 de janeiro e 13 de março de 2020, o número de entradas registadas deu-se ainda num quadro de livre circulação de visitantes portugueses e estrangeiros.

Tempo médio de atribuição de pensões pela CGA diminuiu mas continua sem cumprir lei

No global, quase metade das pensões de reforma (46%) foram atribuídas num período superior a 120 dias. Ao longo do triénio 2017-2019, o TdC revela que foram adotadas “várias iniciativas de melhoria do serviço prestado e diminuição dos tempos médios na atribuição de pensões”, em concreto no que toca aos sistemas de informação, automatização de processos e priorização das áreas de atuação.

Jerónimo Martins aumenta vendas no primeiro semestre em 6,3%, para 9,9 mil milhões de euros

O EBITDA consolidado do grupo retalhista nacional cresceu 12,6% na primeira metade deste ano
Comentários