OE2019 traz menor redução nominal do défice desde 2010, avisa Fórum para a Competitividade

Na nota de conjuntura de outubro do Fórum para a Competitividade, Joaquim Miranda Sarmento sublinha o calendário eleitoral e destaca que o Executivo “reduz o défice apenas na medida da redução da despesa com juros e no aumento dos dividendos” do Banco de Portugal e da CGD.

O Fórum para a Competitividade destaca na nota de conjuntura de outubro, publicada esta quarta-feira, que as previsões sobre o défice inscritas no Orçamento do Estado para (OE2019) apontam para a menor redução nominal do défice desde 2010.

“Trata-se contudo de uma redução nominal de 0.4 p.p., a mais baixa redução do défice nominal desde 2010. Num período de expansão económica e quebra do desemprego, bem como de redução da fatura de juros e aumento muito significativo dos dividendos e do IRC do Banco de Portugal, o governo opta por não fazer consolidação orçamental em 2019”, escreve o economista Joaquim Miranda Sarmento.

Joaquim Miranda Sarmento sublinha o calendário eleitoral e destaca que o Executivo “reduz o défice apenas na medida da redução da despesa com juros e no aumento dos dividendos” do Banco de Portugal e da CGD.

“O cenário macro do OE2019 é francamente otimista para 2019, prevendo um crescimento de 2%, quando a maioria das entidades internacionais e nacionais (sobretudo aquelas cujas previsões são mais recentes), aponta para um crescimento abaixo dos 2%”, diz.

O economista acusa ainda o ministro Mário Centeno de desenhar um orçamento “para agradar à extrema-esquerda que sustenta a “geringonça” e depois executa para cumprir com Bruxelas”.

Recomendadas

El Mundo: Dono do BPI vai despedir mais de 2 mil trabalhadores em Espanha

Depois de anunciar o fecho de 800 agências em Espanha, o CaixaBank prepara-se para despedir mais de dois mil trabalhadores, avança o El Mundo.

Lucros, salários e pensões deixam de ter dupla tributação em Portugal e Angola

A proposta foi aprovada pelo Parlamento português esta sexta-feira e vai a votos na próxima semana na Assembleia Nacional angolana.

Estatuto de Jovem Empresário Rural prevê benefícios fiscais

Os jovens que conseguirem ter acesso a este estatuto contarão “com a abertura de concursos e/ou de apoios específicos”, com uma “majoração na atribuição de apoios”, a criação de “dotações financeiras específicas” na área do desenvolvimento territorial, destinadas ao apoio ao investimento.
Comentários