OE2021: Segurança Social regista excedente de 859,5 milhões de euros até outubro

A contribuir para este resultado esteve o aumento homólogo em 1.618,8 milhões de euros da receita efetiva, acima da subida da despesa efetiva, no valor de 1.060,4 milhões de euros.

A Segurança Social registou um excedente de 859,5 milhões de euros até outubro, valor que compara com o saldo de 301,1 milhões de euros verificado nos primeiros 10 meses de 2020, segundo a Síntese da Execução Orçamental hoje divulgada.

A contribuir para este resultado esteve o aumento homólogo em 1.618,8 milhões de euros da receita efetiva, acima da subida da despesa efetiva, no valor de 1.060,4 milhões de euros.

No total a receita efetiva ascendeu a 26.016,0 milhões de euros até outubro, o que traduz uma subida homóloga de 6,6%. Já a despesa efetiva totalizou 25.156,5 milhões de euros nestes primeiros dez meses de 2021, valor que reflete uma subida de 4,4% face ao mesmo período do ano passado.

A informação hoje divulgada pela DGO revela que o défice das contas públicas nacionais melhorou 650 milhões de euros (ME) até outubro face ao mesmo mês de 2020, totalizando 6.673 milhões de euros.

Recomendadas

SEDES propõe mais deputados eleitos pelas comunidades para melhorar relação com Portugal

O aumento do número de deputados eleitos pelos emigrantes e a adoção do voto eletrónico são algumas propostas apresentadas hoje pela SEDES para melhorar a relação entre Portugal e as suas comunidades no mundo. No seu V congresso, que decorre desde sexta-feira e até domingo em Carcavelos, concelho de Cascais, a SEDES – Associação para […]

PremiumEconomista Sérgio Rebelo diz que “é importante evitar os cortes súbitos de despesa e subidas de impostos”

O economista português, professor nos EUA, alerta que instabilidade política pode “facilmente” criar instabilidade económica com impacto para o refinanciamento da dívida portuguesa e diz que o país tem pouco espaço fiscal.

Imobiliário: tecnologia “abre a porta” a investimentos nacionais e estrangeiros

A tecnologia está a transformar de forma profunda a gestão das transações e o fecho das operações deste sector, numa tendência que já se verificava e que se intensificou com a pandemia e o incremento das soluções tecnológicas, exemplifica Ricardo Sousa, CEO da Century 21 Portugal.
Comentários